Açoriano Oriental
CDS/Açores disponível para compromissos políticos que melhorem vida das pessoas

O CDS-PP dos Açores mostrou-se hoje, "como sempre", disponível para "estabelecer compromissos políticos que melhorem a vida dos açorianos", sendo essa, advoga o partido, a sua "responsabilidade".

article.title

Foto: CDS-PP/A
Autor: Lusa/AO Online

"Acreditamos que o caminho que afirmamos e as propostas que apresentaremos contribuirão para o desenvolvimento económico e social da nossa região. É essa a nossa responsabilidade perante esta Assembleia e perante os açorianos que representamos", assinalou o líder da estrutura centrista, Artur Lima.

O também deputado falava na Assembleia Legislativa Regional, na cidade da Horta, no primeiro dia de debate sobre o Plano e Orçamento da região para o próximo ano.

O CDS dos Açores, disse o seu presidente, "tem afirmado ao longo desta legislatura a necessidade de novas políticas públicas e práticas de gestão objetivas que permitam uma responsável e racional utilização dos recursos públicos regionais disponíveis".

Nesse sentido, prosseguiu Artur Lima, "é essencial um novo paradigma de políticas públicas consubstanciadas no rigor e na transparência" e que permitam "reverter a tendência do endividamento e garantir a utilização rigorosa dos recursos públicos".

"Queremos que os açorianos deixem de ter o mais baixo poder de compra nacional e deixem de viver no aperto da espera por mais um ordenado que se esgota no pagamento dos encargos mais essenciais. Queremos que os açorianos abandonem o risco de pobreza e consigam ter condições para ter uma vida mais condigna. Queremos mais alternativas para a nossa juventude e medidas para a sua fixação (...). Queremos que os nossos idosos, depois de uma vida de trabalho, tenham uma justa e eficaz rede de proteção e cuidados", acrescentou o centrista.

Na intervenção que abriu o debate, o vice-presidente do Governo dos Açores, Sérgio Ávila, considerou que o Plano e Orçamento para 2020 representam um "contributo criativo, inovador, inconformado e eficaz" para enfrentar os "grandes e novos desafios" com que a região se depara atualmente.

O Plano e Orçamento dos Açores para 2020 tem um valor global de 1.812 milhões de euros e pretende, diz o executivo regional, ser um guia para o fortalecimento da economia e a criação de emprego.

No documento é referido que, dos 1.812 milhões de euros, 207 milhões de euros dizem respeito a operações extraorçamentais e 558 milhões de euros são adjudicados às despesas do Plano.

Contemplando um investimento público de 816,4 milhões de euros, dos quais os referidos 558 são da responsabilidade direta do Governo Regional, estes documentos preveem, para 2020, um crescimento do investimento total de cerca de 51 milhões euros e um aumento no investimento direto no valor de 44,8 milhões de euros, na comparação com 2019.

O Governo dos Açores estima que a taxa de desemprego na região fique nos 5,8% em 2020, prevendo que a economia da região cresça 2%, percentagem igual à que se deve registar este ano.

O executivo antecipa uma subida de 5,1% na receita fiscal em 2020, perspetivando-se um total da receita dos impostos na casa dos 735 milhões de euros.

As propostas de Plano e Orçamento começaram hoje a ser debatidas em plenário do parlamento dos Açores, onde o PS tem maioria absoluta.

No orçamento para este ano, os documentos tiveram a aprovação também de CDS-PP e PCP, além da maioria socialista.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.