Açoriano Oriental
Cavaco diz não querer interferir no funcionamento de órgãos de soberania
O Presidente da República, Cavaco Silva, escusou-se hoje a falar sobre as faltas dos deputados da Assembleia da República, por não querer interferir no funcionamento dos restantes órgãos de soberania.
article.title

Foto: LUSA/ ANTÓNIO COTRIM
Autor: Lusa/AO Online

    “Há uma regra básica de todos os Presidentes da República: nunca interferir na organização do funcionamento da Assembleia da República e das assembleias legislativas regionais”, disse.

    Cavaco Silva falava aos jornalistas, em Coimbra, no início de uma visita a três municípios da Região Centro: Coimbra, Vouzela e Oliveira do Bairro.

    Sobre esta matéria, o chefe de Estado salientou que o Parlamento e as duas assembleias regionais - da Madeira e dos Açores - “são órgãos independentes e com uma legitimidade própria”.

    Nas votações de sexta-feira, na Assembleia da República, poderia ter sido aprovado um projecto de resolução do CDS-PP que recomendava ao Governo a suspensão da avaliação dos professores, não fossem as ausências de deputados da oposição.

    Uma contagem de votos durante a votação de um projecto do CDS-PP revelou a ausência no hemiciclo de 48 deputados, 13 do PS e 35 da oposição, dos quais 30 do PSD, três do CDS-PP, um do PCP e um dos Verdes.

    Contudo, a página do Parlamento na Internet indicava terça-feira apenas 35 ausências, das quais 12 do PS, 20 do PSD, duas do CDS-PP e uma do PCP.

   
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.