Açoriano Oriental
Canadá pede aos seus cidadãos no Líbano que abandonem o país

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, pediu aos cidadãos canadianos no Líbano para abandonarem o país, após reunir-se com o gabinete de emergência para discutir o agravamento dos combates entre Israel e a milícia libanesa Hezbollah.

Canadá pede aos seus cidadãos no Líbano que abandonem o país

Autor: Lusa/AO Online

Em comunicado, o gabinete do primeiro-ministro assinalou que a reunião serviu para debater a “mudança de situação no Médio Oriente” e especialmente “o risco de uma escalada” na fronteira entre Israel e o Líbano.

Trudeau e o gabinete de emergência “frisam a necessidade urgente de que os canadianos deixem o Líbano enquanto existem opções de viagens comerciais disponíveis”.

A reunião com o gabinete de emergência decorreu no mesmo dia em que o Hezbollah lançou mais de duas centenas de projéteis e drones contra cinco quartéis-generais do exercido israelita no norte de Israel, em resposta ao assassinato de Mohamed Niamah Nasser, na quarta-feira.

Niamah Nasser, um destacado líder do Hezbollah, foi morto por Israel na região de Al Housh, no sul do Líbano.

Israel advertiu que está pronto para lançar um grande ataque para destruir o grupo xiita que multiplicou os seus ataques desde que as forças armadas israelitas invadiram a Faixa de Gaza, em outubro de 2023.

O Canadá pode estar a preparar-se para evacuar até 45 mil cidadãos canadianos que vivem no Líbano.

Durante a guerra de 2006 entre Israel e o Hezbollah, o Canadá teve de improvisar a retirada de cerca de 15 mil cidadãos do Líbano.

Entre junho e setembro de 2006, devido ao encerramento do aeroporto de Beirute e ao cancelamento de voos comerciais, o Canadá foi forçado a alugar sete navios e vários aviões para evacuar os seus cidadãos, uma operação que custou ao país cerca de 90 milhões de dólares (83,2 milhões de euros).


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados