Assembleia Legislativa dos Açores

Apresentada proposta de redução de despesas

Apresentada proposta de redução de despesas

 

Lusa/AOonline   Regional   19 de Nov de 2008, 17:00

O Grupo Parlamentar do PS na Assembleia Legislativa dos Açores apresentou esta quarta-feira uma proposta de redução das despesas com as subvenções dos partidos e com os gabinetes dos deputados.
Em conferência de imprensa, na sede do Parlamento, na cidade da Horta, Hélder Silva, líder parlamentar, justificou a proposta de redução das despesas com a conjuntura económica e com a necessidade de tornar mais «justa» e «equitativa» a distribuição das verbas.

    Segundo referiu, esta proposta surge na sequência da alteração à lei eleitoral nos Açores, que introduziu um círculo regional de compensação, que fez aumentar em mais 5 o número de deputados.

    «Tal facto acarreta, desde logo, o aumento anual das despesas com remunerações, representação e encargos sociais, a que acrescem as despesas com as respectivas deslocações e ajudas de custo», frisou.

    Hélder Silva lembrou ainda que as eleições do dia 19 de Outubro trouxeram a duplicação dos partidos políticos com assento parlamentar, facto que também faria aumentar substancialmente as despesas do Parlamento.

    Por essa razão, a bancada da maioria socialista propõe uma alteração à Lei Orgânica da Assembleia, no sentido de rever os regimes de financiamento da actividade parlamentar e da constituição dos gabinetes e dos grupos e representações parlamentares.

    Na prática, são reduzidos os montantes das subvenções partidárias, bem como o número de adjuntos previstos para cada grupo parlamentar

    Actualmente, dos 10 milhões de euros do orçamento anual da Assembleia Legislativa dos Açores, 1,6 milhões são gastos em subvenções e em despesas dos gabinetes, valor que poderá aumentar para 2,4 milhões, se a orgânica não for alterada.

    Hélder Silva admite que os partidos mais pequenos possam não concordar com estes cortes orçamentais, mas lembra que a sua bancada é, em termos gerais, a mais penalizada com estas restrições.

    No seu entender, não seria «justo» manter a actual repartição de verbas, segundo a qual um grupo parlamentar como o PS, com 30 deputados, teria direito a uma subvenção anual de 800 mil euros, apenas 4 vezes mais que uma representação parlamentar (200 mil euros), composta por 1 só deputado.

    Dentro do mesmo espírito de equidade e de contenção das despesas, os socialistas propõem também um tecto máximo para gastos com as jornadas parlamentares e a fixação de critérios para controlo de despesas correntes nos grupos e representações parlamentares.

    Estão representados no Parlamento dos Açores 57 deputados representando seis forças políticas (PS, PSD, CDS/PP, BE, CDU e PPM), mas três do que na anterior legislatura.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.