Açoriano Oriental
Vitória podia ter caído para qualquer equipa

O treinador do Santa Clara afirmou que a vitória tanto poderia ter pendido para a sua equipa, como também podia ter caído para o lado do Rio Ave.

Vitória podia ter caído para qualquer equipa

Autor: Arthur Melo

Em Vila do Conde, na partida de abertura da 33.ª e penúltima jornada da I Liga, vila-condenses e encarnados de Ponta Delgada empataram 2-2, num jogo com várias alterações na marcha do marcador.

O treinador do Santa Clara reconheceu, no final do desafio, que “tivemos sinal menos na nossa entrada. Fomos muito expectantes. Após o golo do Rio Ave começámos a ser agressivos e a pressionar e criámos as situações para termos chegado ao intervalo com o empate”, recordou João Henriques na sala de imprensa.

Na etapa complementar, o técnico encarnado considera que “entrámos bem, voltámos a criar oportunidades. O Rio Ave quis assumir o jogo, mas nós pressionámos e ficámos na frente do marcador. Podíamos ter resolvido o jogo num lance com o Thiago Santana. Depois aconteceu o penálti. Qualquer equipa podia ter vencido. Acabou 2-2 e ficámos com aquele sabor agridoce por termos estado em vantagem”, vincou.

Todavia, para João Henriques o mais importante do jogo foi que “este ponto permitiu-nos igualar a prestação da época anterior [42 pontos], mas queremos superá-la. Temos um jogo para o fazer e vamos tentar o maior registo pontual do clube [na I Liga] e a melhor classificação possível”, reiterou o treinador do Santa Clara.

 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.