Vasco Cordeiro diz que novo clima económico não deve ser menosprezado

Vasco Cordeiro diz que novo clima económico não deve ser menosprezado

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Nov de 2018, 14:35

O presidente do Governo dos Açores alertou esta segunda-feira para a necessidade de “não se menosprezar” o “clima de confiança” económico que se vive na região, admitindo que existem ainda, contudo, desafios que necessitam de ser ultrapassados.

Vasco Cordeiro, que falava em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, na apresentação do projeto de recuperação de um imóvel do século XVIII para conversão num hotel boutique de quatro estrelas, quer aproveitar a nova realidade económica para potenciar o investimento privado e avançar em áreas que considera “fundamentais do desenvolvimento e progresso coletivo”.

O segundo alerta deixado pelo líder do executivo açoriano, que iniciou hoje uma visita de dois dias de trabalho à ilha Terceira, aponta para a necessidade de “ter a consciência de que continuam a existir desafios que necessitam de ser ultrapassados”, havendo que consolidar o processo de crescimento.

Para Vasco Cordeiro, a nível do turismo há que consolidar novos mercados, bem como os existentes, a par da estrutura e perfil do turista que procura os Açores.

O chefe do Governo Regional refere que no âmbito da “nova fase” da economia açoriana foram já aprovadas mil candidaturas privadas a sistemas de incentivos, que representam cerca de 440 milhões de euros e irão gerar 2.100 postos de trabalho.

No caso específico da ilha Terceira, foram apresentadas 220 candidaturas privadas no total de 90 milhões de euros, esperando-se que sejam criados 525 postos de trabalho.

Vasco Cordeiro referiu que esta dinâmica económica se prende com o setor turístico, mas também com outros indicadores que “evidenciam crescimento” em termos comparativos com os recentes anos de recessão a que se assistiu na região, no país e no mundo.

O hotel que vai ser construído por um empresário da ilha Terceira, já ligado à restauração, representa um investimento de 5,7 milhões de euros, sendo que irá beneficiar de uma comparticipação de fundos comunitários de 3,7 milhões, no âmbito do Programa Operacional Açores 2020.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.