Sony vai vender à Samsung participação em fábrica de écrãs LCD


 

Lusa/AO Online   Economia   26 de Dez de 2011, 07:57

O gigante japonês de aparelhos eletrónicos Sony anunciou hoje que vai vender em breve à sua homóloga sul-coreana Samsung Electronics a sua participação de 50 por cento na fábrica conjunta de ecrãs de televisores LCD.

A Sony, número dois mundial no mercado de televisões de cristais líquidos (LCD), associou-se em 2004 à líder mundial, a sua concorrente Samsung, para construir ecrãs para as duas marcas, mas a forte concorrência e a descida constante de preços impedem a Sony de ter lucro.

O acordo entre as duas empresas, que espera autorização das autoridades de concorrência mas deverá estar concluído até final de janeiro, prevê que a Samsung pague à Sony cerca de 720 milhões de euros em dinheiro.

Apesar de a empresa de LCD passar a ser detida a 100 por cento pela Samsung, a Sony continuará a comprar à Samsung telas de LCD a preços de mercado, tendo os grupos rivais indicado querer continuar a cooperar em termos de evolução técnica.

Com esta alienação, a Sony pretende apresentar nas suas contas uma imparidade de ativos de 647 milhões de euros, mas adiantou que espera uma redução de custos de produção de ecrãs na ordem dos 490 milhões de euros.

Recentemente, dois outros grupos japoneses, a Sharp e a Panasonic, também decidiram reorganizar a sua produção de telas LCD dando preferência ao fabrico de telas para dispositivos móveis (telefones, tablets) e de televisores de grandes dimensões, mercados onde a rentabilidade é maior do que nos modelos de tamanho médio.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.