“Santuário quer o mesmo tratamento que têm outros edifícios classificados”

“Santuário quer o mesmo tratamento que têm outros edifícios classificados”

 

Paulo Faustino   Regional   5 de Ago de 2019, 09:07

Reitor, Adriano Borges, reclama que o Santuário do Santo Cristo e o Convento da Esperança, que vão ser reabilitados, tenham o mesmo tratamento como património classificado àquele que é dado pelo governo à Casa da Autonomia e à Igreja do Carmo. Cónego pede clarificação ao executivo em termos de apoios e admite recurso à banca para as obras

Foi recentemente entregue na Câmara Municipal de Ponta Delgada (CMPD) o projeto de reabilitação do Convento da Esperança e do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres. Qual o objetivo da ação e o que se pretende fazer neste emblemático complexo?


O objetivo principal é a reabilitação total do Convento da Esperança, como também do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres. Essa reabilitação está a ser feita por fases e atualmente já concluímos três fases que para nós eram bastante importantes: o Coro Baixo, o Coro Alto - inaugurado recentemente nas festas do Santo Cristo - e também o armazém, que era uma necessidade para desocuparmos espaços nobres do Convento. Portanto, retirou-se uma quantidade de coisas - mormente tudo o que era relacionado com a festa e que é usado só uma vez por ano e a parte das nossas oficinas internas - que se deslocaram para este armazém. Isto significa que essa parte do Convento que estava ocupada com coisas, agora está desocupada, e então aí permite-nos já avançar com a outra fase do projeto.


Pode ler na íntegra a entrevista na edição desta segunda-feira, 5 de agosto 2019, do jornal Açoriano Oriental




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.