Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO Online   Nacional   16 de Nov de 2010, 07:16

O risco de Portugal ter de recorrer ao FMI, as restrições e preparativos da cimeira da NATO e os cortes salariais no Banco de Portugal e na CGD são temas em destaque na imprensa de hoje.

“Risco elevado de Portugal ter de pedir ajuda à Europa”, escreve o Jornal de Notícias em manchete, adiantando que a “descida da dívida indica que o mercado acredita na necessidade de ajuda”.

O Diário de Notícias diz, por seu lado, que o “Governo recusa pedir ajuda mesmo que a Irlanda o faça” enquanto o jornal i ironiza com as declarações do ministro das Finanças, chamando-lhe “Dr. Teixeira e sr. dos Santos” por ter dito no mesmo dia que “há um risco elevado de recorrer ao FMI” e que “o pedido de ajuda não está iminente”.

A poucos dias do início da cimeira da NATO, na sexta feira, os jornais destacam os preparativos, com o DN a noticiar que os “manifestantes de cara tapada serão detidos pela polícia” e que “presidentes, diplomatas e manifestantes [vão ser] atendidos em hospitais diferentes”.

O JN lembra que a “fiscalização policial volta às fronteiras até sábado” e o i destaca ter conseguido comprar “na Expo materiais para fazer uma bomba por 19 euros”.

O Público refere também que os blindados pedidos pela PSP só “chegam em cima da cimeira” e o Diário Económico salienta uma entrevista ao ministro da Defesa na qual Augusto Santos Silva defende a manutenção de “um comando da NATO em Portugal”.

Os cortes salariais continuam a preencher as primeiras páginas, com o Diário Económico a fazer manchete com “Banco de Portugal também vai cortar salários mais altos”.

Segundo o jornal, o BCE deu liberdade ao Banco de Portugal para decidir se corta os salários dos seus funcionários e a instituição decidiu que, por uma questão de moralização, vai seguir a regra imposta a toda a função pública.

O Público também destaca os cortes salariais mas na Caixa Geral de Depósitos, escrevendo “CGD teme fuga de quadros se for obrigada a aplicar cortes salariais” e quer ficar de fora das medidas de austeridade.

No Jornal de Notícias, a manchete também é sobre a CGD e diz “Caixa quer vender todas as seguradoras”, um cenário previsto no plano de reestruturação do banco, que prevê a criação de uma companhia para vender seguros associados a produtos bancários.

O DN refere ainda que José Sócrates vai recandidatar-se à liderança do PS em março e só admite sair do Governo se perder novas eleições e adianta ainda que o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, reiterou que o país “não aguenta” mais instabilidade em 2011.

Já o Público noticia que o apoio do PSD a Cavaco Silva só teve um voto contra, sendo que Passos Coelho transmitirá esse apoio hoje a Cavaco.

O Jornal de Negócios destaca que o PSD cede a novas medidas do Governo para baixar défice, aceitando cortes de despesa e receita não fiscal, enquanto o Diário Económico escreve que Bruxelas força Governo a detalhar planos orçamentais.

As portagens nas SCUT também soa “puxadas” às capas, com o i a dizer que estas autoestradas podem sofrer um aumento maior que as outras em 2011 e o Público a contar que cidadão inglês tentou pagar a portagem numa SCUT mas não conseguiu.

O Correio da Manhã faz manchete com “Ouro roubado à porta do ministro”, descrevendo um assalto milionário a uma ourivesaria no Saldanha que fica a 40 metros da casa do ministro das Finanças.

O semanário O Diabo salienta que “Desemprego empurra 75 mil para a emigração”, sublinhando que a média está acima dos números dos anos 60 do século XX.

Os desportivos fazem manchete com o Benfica e o Sporting, com A Bola a escrever “Há tango na Luz”, referindo-se ao quinteto argentino (Saviola, Aimar, Gaitán, Salvio e Jara) dizendo que devolveu “magia ao futebol” do clube.

O Jogo diz em manchete que Nuno Gomes “é finito”, adiantando que Jorge Jesus imita o que Ivic fez há 23 anos a Bibota, ídolo que deu nome ao capitão da Luz.

No Record, o destaque é dado a declarações do treinador do Sporting, Paulo Sérgio, que defende que quem joga no clube “tem de ser responsável”, na sequência da expulsão de Maniche a 15 minutos do final do jogo com o V. Guimarães (3-2).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.