PSD lança comissão de inquérito aos computadores Magalhães


 

Lusa/Ao On line   Nacional   7 de Dez de 2009, 05:29

O PSD deverá lançar hoje no Porto uma comissão de inquérito para investigar o programa Magalhães e a Fundação criada para gerir o seu financiamento, medida que o PS já classificou de "radical, extremista e irresponsável".

A edição de domingo do Diário de Notícias anunciava, com base em fonte parlamentar não identificada, que o líder parlamentar do PSD, José Pedro Aguiar-Branco, iria lançar hoje uma comissão de inquérito para investigar a Fundação das Comunicações Móveis, criada para gerir o financiamento do 'Magalhães'.

Os sociais-democratas suspeitam de que aquela fundação possa estar a funcionar como um "saco azul" para o Governo escapar à fiscalização do Tribunal de Contas sobre o investimento público.

Em causa está o facto de o computador Magalhães ter sido escolhido sem concurso público, beneficiando a empresa JP Sá Couto, e também a relação deste programa com o concurso de atribuição de licenças de telemóveis de terceira geração às três operadoras.

Reagindo a esta decisão, o líder parlamentar do PS, Francisco Assis, acusou o PSD de "optar por uma via radical, extremista e irresponsável".

"A ser verdade, isso significa que o PSD está de facto a optar por uma via radical, extremista e irresponsável, de todo em todo imprópria de um grande partido com vocação de alternativa de poder como é o caso do PSD", disse Francisco Assis, numa conferência de imprensa na sede do PS/Porto.

Assegurando que os socialistas tudo farão para contribuir para a transparência do processo, Francisco Assis não deixou de considerar que o PSD está a fazer uma campanha alicerçada na suspeita e na insinuação, atentando "contra o bom-nome das instituições e das pessoas".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.