PSD/Açores diz que prejuízos da SATA são "perturbadores"

PSD/Açores diz que prejuízos da SATA são "perturbadores"

 

Lusa/AO online   Regional   5 de Jul de 2019, 10:26

O PSD/Açores definiu os prejuízos da transportadora SATA no primeiro trimestre como "perturbadores", acrescentando que os números "desmentem as fantasias” do presidente do Governo Regional dos Açores sobre a companhia.

"Há pouco mais de um mês jurava que a SATA estava no bom caminho e que havia melhorias no primeiro trimestre de 2019", lembra, em nota enviada à imprensa, o deputado do PSD/Açores António Vasco Viveiros, referindo-se ao presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro (PS).

"A realidade desmentiu agora essas fantasias de Vasco Cordeiro", advoga o parlamentar social-democrata.

O grupo formado pelas transportadoras Azores Airlines e SATA Air Açores registou prejuízos de 20,84 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, segundo documentos oficiais.

De acordo com informações enviadas pelo Governo Regional à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores (ALRAA), e às quais a agência Lusa teve acesso na quinta-feira, a Azores Airlines, que engloba as operações da companhia aérea para fora dos Açores, teve um prejuízo de 16,85 milhões de euros entre janeiro e março, ao passo que a SATA Air Açores, que opera na região, teve 3,99 milhões de euros de prejuízo.

Ambos os resultados indicam um maior prejuízo na comparação com período homólogo: na Azores Airlines as perdas reportadas no primeiro trimestre de 2018 foram de 14,5 milhões de euros, e na SATA Air Açores - que voa nas nove ilhas do arquipélago - o resultado líquido negativo foi então de 708 mil euros.

Para o PSD dos Açores, os prejuízos "são perturbadores e mostram que as contas da SATA estão absolutamente desgovernadas".

"O objetivo de reduzir os prejuízos para metade em 2019 está seriamente comprometido, bem como a sobrevivência da companhia aérea", sublinha António Vasco Viveiros.

Segundo o deputado do PSD/Açores, "Vasco Cordeiro e o PS são os únicos responsáveis por este descalabro da SATA, pois ignoraram durante anos os avisos e propostas dos trabalhadores, partidos da oposição e sociedade civil".

O grupo SATA havia fechado 2018 com um prejuízo de 53,3 milhões de euros, um agravamento de 12,3 milhões face ao ano de 2017.

Em abril, na apresentação dos resultados de 2018, o presidente do grupo SATA, António Teixeira, havia dito querer até final do ano reduzir em metade os prejuízos da transportadora aérea.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.