PS mantém maioria absoluta, mas desce em relação a 2004

PS mantém maioria absoluta, mas desce em relação a 2004

 

Lusa/AOonline   Regional   19 de Out de 2008, 21:27

O PS venceu as eleições regionais dos Açores, com 49,96 por cento dos votos, mas desce em relação ao resultado conseguido em 2004, quando obteve perto de 57 por cento do total.
Embora tenham ganho pela primeira vez em todas as ilhas o arquipélago, os socialistas descem igualmente em número de votos e mandatos na Assembleia Legislativa Regional: em 2004 tinham conseguido 60.140 votos e 31 mandatos (em 52 possíveis) e agora venceram com 45.070 votos, correspondentes a 30 deputados, num total de 57.

    A abstenção atingiu o valor mais alto de sempre em eleições legislativas regionais, 53,24 por cento.

    Dos quase 193.000 eleitores açorianos, pouco mais de 90.000 exerceram o seu direito de voto.

    O PSD foi a segunda força política mais votada, mas com quase menos 20 pontos percentuais que o PS, obtendo 30,27 por cento dos votos, e conseguindo eleger 18 deputados. Há quatro anos, em coligação com o CDS-PP, os dois partidos elegeram 21 parlamentares.

    Este resultado levou o líder do PSD/Açores, Carlos Costa Neves, a anunciar a sua demissão.

    Já o CDS-PP elegeu 5 representantes para o Parlamento regional, com 8,7 por cento do total dos votos, uma subida em relação a 2004, quando elegeu dois deputados, um dos quais passou a independente a meio do mandato.

    O Bloco de Esquerda também subiu e passou a quarta força política nos Açores, com 3,3 por cento dos votos (em 2004 apenas tinha conseguido 0,97 por cento), e elegendo dois deputados. Esta será a estreia do Bloco no parlamento açoriano.

    A CDU regressa à Assembleia Legislativa Regional, com um deputado, e 3,14 por cento dos votos, igualmente uma subida em relação há quatro anos, quando obteve 2,97 por cento.

    Pela primeira vez, o Partido Popular Monárquico conseguiu um deputado nos Açores, eleito pelo círculo do Corvo.

    Desta forma a Assembleia Legislativa Regional será composta por seis forças políticas - PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU e PPM - quando até agora apenas três partidos tinham assento no parlamento regional (PS, PSD e CDS-PP).

    A novidade destas eleições, o círculo eleitoral de compensação, por onde foram eleitos cinco deputados beneficiou sobretudo os pequenos partidos: o BE elegeu dois parlamentares por esta via, enquanto PSD, CDS-PP e CDU elegeram cada um um deputado.

    O círculo de compensação foi introduzido na nova lei eleitoral da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, aprovada em 2006, e visou melhorar a proporcionalidade do sistema, permitindo que os votos que não serviram para eleger deputados por cada uma das ilhas fossem somados e convertidos em mandatos.

   

    Totais regionais e finais:

   

    Inscritos: 192.956

    Votantes: 90.221 (46,76%)

    Abstenção: 102.735 (53,24%)

    Brancos: 1.695 (1,88%)

    Nulos: 760 (0,84%)

   

    Mandatos:

   

    PS - 30

    PSD - 18

    CDS-PP - 5

    BE - 2

    PCP-PEV - 1

    PPM -1

    MPT - 0

    PDA - 0

   

    Votos:

   

    PS: 45.070 (49,96%)

    PSD: 27.309 (30,27%)

    CDS-PP 7.853 (8,70%)

    B.E. 2.976 (3,30%)

    PCP-PEV 2.831 (3,14%)

    MPT 684 (0,76%)

    PDA 619 (0,69%)

    PPM 424 (0,47%)

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.