Portugal perde ‘coroa’ nos sub-19 com derrota frente à Espanha


 

Lusa/Ao online   Futebol   27 de Jul de 2019, 21:39

Um ‘bis’ de Ferrán Torres, jogador da primeira equipa do Valência, derrotou este sábado Portugal na final do Europeu de sub-19 de futebol, que a Espanha venceu por 2-0, em Erevan.

No reencontro com os espanhóis no Europeu que terminou hoje na Arménia, depois de um empate 1-1 na fase de grupos, Portugal apresentou-se com os mesmos jogadores que tinham goleado nas meias-finais a República da Irlanda por 4-0.

Na Espanha, o selecionador Santi fez regressar o médio António Blanco, suspenso frente à França, tendo saído Jandro Orellana.

Numa primeira parte sem ocasiões flagrantes, a Espanha acabou por merecer a vantagem, como o conjunto mais vezes perto da baliza de Celton Biai, num período em que Portugal teve dificuldade em libertar-se.

Perante a ‘timidez’ lusa, foi a Espanha que se acercou do meio-campo defensivo de Portugal, primeiro com Moha a rematar à figura do guarda-redes luso, aos 16 minutos, e depois com Juan Miranda, um lateral muito ofensivo, a cruzar para corte de Tomás Tavares.

As duas equipas estiveram sempre muito encaixadas, mas depois de um remate perigoso de Sérgio Gomez à figura de Celton Biai, aos 25 minutos, o golo espanhol surgiria mesmo, com alguma desatenção de Portugal.

Um livre marcado rapidamente deixou Brian Gil solto no flanco e o avançado cruzou para a área, com a bola a não ser cortada por Diogo Capitão e Vítor Ferreira, e a sobrar para Ferrán Torres, que, na marca de penálti, fez o 1-0, aos 34 minutos.

Portugal teve uma boa reação, com mais bola, mas a segunda parte não podia começar pior para os lusos: novamente o flanco esquerdo, com Juan Miranda a cruzar, Abel Ruiz a não chegar, e Ferrán Torres, junto à marca de penálti, a bisar no encontro, aos 51 minutos.

A perder por dois golos, competia à equipa de Filipe Ramos tentar virar o rumo dos acontecimentos e Félix Correia - o melhor jogador luso -, esteve perto de marcar, aos 53 e 65 minutos, valendo em ambas as ocasiões o guarda-redes Arnau Tebas.

Seria novamente o guardião a defender um remate de Fábio Vieira, aos 74, numa fase em que a Espanha se limitava a deixar passar o tempo, procurando apenas explorar as ‘costas’ do adversário, criando algum perigo, mas sem que o resultado se alterasse.

Portugal, que tinha sido campeão em 2018, cede a ‘coroa’ à Espanha, país que passa a ser recordista de troféus no escalão, com 11 títulos acumulados desde o torneio júnior da UEFA e até à atual designação de Europeu de sub-19.

A seleção portuguesa, que disputava pela terceira vez consecutiva a final do Europeu de sub-19, falhou a revalidação, depois de também se ter sagrado também campeã em 1961, no Torneio Internacional de Juniores, e em 1994 e 1999, sob o formato de Campeonato da Europa de sub-18.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.