Açoriano Oriental
Covid-19
Pfizer alerta que Brasil tem poucos dias para definir compra de vacina

A farmacêutica norte-americana Pfizer indicou que o estoque da sua potencial vacina contra a covid-19 diminui a cada dia e alertou o Brasil para que decida rapidamente sobre a compra do imunizante.

Pfizer alerta que Brasil tem poucos dias para definir compra de vacina

Autor: Lusa/AO Online

"A cada dia o número de doses disponíveis para os países diminui consideravelmente. Diversos países da América Latina, como Peru e Chile, já fecharam acordos com a Pfizer. Eu não posso compartilhar a data, mas o Brasil tem alguns dias ou semanas para fazer o pedido, e entregarmos a vacina no primeiro trimestre de 2021", disse ao canal televisivo CNN o diretor de vacinas da Pfizer Brasil, Alejandro Lizarraga.

A vacina da Pfizer/BioNTech é uma das quatro que estão a ser testadas no Brasil. Contudo, o país sul-americano ainda não fez um acordo para adquirir a vacina.

O Ministério da Saúde brasileiro informou na terça-feira que a vacina contra a covid-19 preferencial para o país sul-americano seria de dose única e termo estável, com armazenamento a temperaturas entre os 2º a 8º graus.

Apesar de não ter referido nenhuma farmacêutica em particular, quer a Pfizer, quer a Moderna, precisam de temperaturas negativas para armazenar os seus imunizantes por longos períodos.

As duas vacinas das farmacêuticas norte-americanas precisam de ser armazenadas a -70º e -20ºC, respetivamente, e ambas exigem duas doses.

Apesar de não ser exatamente o perfil desejável de vacina para o Brasil, o imunizante fabricado pela Pfizer não está descartado, de acordo com os técnicos do Ministério da Saúde ouvidos pela CNN.

Para facilitar conservação do imunizante no Brasil, a farmacêutica norte-americana desenvolveu um contentor para esse efeito.

"A Pfizer elaborou uma caixa, um pequeno contentor facilmente transportável, que mantém a vacina a -70°C por 15 dias. No acordo que estamos a fazer com o Governo, a Pfizer entrega assim no ponto de vacinação, e a vacina ainda pode ser conservada num frigorífico comum, de 2ºC a 8ºC, por cinco dias. Com todo esse tempo dá para fazer uma logística muito boa", informou o coordenador dos testes da farmacêutica no Brasil, Cristiano Zerbini.

O Brasil dará prioridade a idosos, profissionais de saúde e indígenas na vacinação contra a covid-19, segundo uma estratégia "preliminar" de vacinação divulgada na terça-feira pela tutela da Saúde.

O executivo brasileiro frisou ainda que já tem garantidas, até ao momento, 142,9 milhões de doses de imunizantes, através dos acordos entre a Fiocruz/AstraZeneca (100,4 milhões de doses) e Covax Facility, iniciativa liderada pela Organização Mundial da Saúde(42,5 milhões).


PUB
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.