Debate AR - Programa de Governo

PCP diz que Governo faz "autêntica chantagem" com ideia de novas eleições


 

Lusa/AO Online   Nacional   6 de Nov de 2009, 11:14

O PCP acusou hoje o Governo de realizar uma “autêntica chantagem” ao “espalhar a ideia” de que pode promover novas eleições caso as propostas do executivo sejam recusadas e de seguir uma estratégia de vitimização.

“O Governo e os seus propagandistas encarregaram-se, para promover a resignação e o conformismo, de espalhar a ideia de que ou aceitam as medidas inaceitáveis do Governo e se calam ou então este pode promover a realização de eleições. É uma autêntica chantagem”, afirmou hoje o deputado comunista Francisco Lopes, durante o encerramento do debate sobre o programa do Governo, no Parlamento, que decorre desde quinta-feira.

Os comunistas consideram que durante a discussão do documento, “o Governo recorreu a repetidas manobras de vitimização para disfarçar a sua falta de soluções para os problemas do país e fugir ao reconhecimento do significado da actual realidade política e institucional”.

Francisco Lopes destacou que o PS “insiste na velha e estafada política que conduziu à actual situação, utilizando os mais diversos elementos de diversão”.

Um exemplo é o que o PCP diz ter sido a encenação do primeiro-ministro da disponibilidade para o diálogo, mas que os comunistas consideram que não passou de “profunda demagogia”, porque “antes de tais encontros afirmou que iria prosseguir o mesmo rumo”.

A bancada comunista insiste na necessidade de uma “ruptura e mudança”.

“O caminho para responder aos problemas do país exige a revogação, alteração e correcção desses aleijões económicos, sociais e políticos” que o PCP diz terem sido causados pela anterior maioria absoluta do PS, mas, acrescentou o deputado, “o Governo, do alto da sua arrogância, vem dizer não”.

Para os comunistas, “nos últimos quatro anos as opções políticas do PS e a sua arrogância deram na derrota da maioria absoluta”.

Agora, considerou Francisco Lopes, “a insistência no mesmo rumo político e a arrogância, com ou sem vitimização, será o caminho da derrota do Governo”.

O PCP reclama “respostas aos problemas do país e não expedientes e encenações” e pedem “uma política capaz de assegurar um Portugal mais desenvolvido e mais justo”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.