Açoriano Oriental
Previsões
OCDE com cenário mais pessimista para a economia portuguesa em 2012
A OCDE estimou um agravamento da economia portuguesa em 2012, traçando um cenário mais pessimista do que o Governo e a Comissão Europeia, com uma contracção do PIB a rondar os 3,2 por cento em 2012 e a taxa de desemprego a chegar aos 13,8 por cento.
article.title

Foto: EPA/EVERETT KENNEDY BROWN
Autor: Ana Carvalho Melo
As previsões da OCDE são mais pessimistas para Portugal do que as recentemente apresentadas pela Comissão Europeia, que apontavam para uma queda do PIB na ordem dos 3 por cento em 2012 e do que as do Governo, que inicialmente indicavam uma contracção de 2,8 por cento.

Para este ano, a previsão da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) é mais optimista ao estimar que a economia portuguesa recue 1,6 por cento, enquanto a Comissão Europeia previa uma contracção de 1,9 por cento.

Relativamente às previsões para o comportamento da taxa de desemprego, a OCDE estima que Portugal alcance os 12,5 por cento este ano, um valor ligeiramente mais optimista do que Bruxelas, que apontava para os 12,6 por cento.

Já em relação a 2012, é também a OCDE que traça o pior cenário para o mercado de emprego português, estimando que a taxa de desemprego chegue aos 13,8 por cento, quando as previsões da Comissão Europeia apontam para os 13,6 por cento.

Para 2013, a OCDE antecipa uma recuperação de 0,5 por cento do PIB português, sobretudo graças às exportações, mas um agravamento da taxa de desemprego para os 14,2 por cento.

Relativamente à inflação, a instituição espera que acelere para os 3,5 por cento este ano, sobretudo como resultado do aumento do preço do petróleo e dos impostos indirectos, recuando para os 2,6 por cento em 2012 e 1,1 por cento em 2013.
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.