Construção

Novas encomendas na construção desaceleram

Novas encomendas na construção desaceleram

 

Lusa/AO online   Economia   22 de Ago de 2008, 11:54

As novas encomendas na construção e obras públicas caíram 3,1 por cento no segundo trimestre, face a igual período do ano passado, reflectindo a desaceleração do segmento Obras de Engenharia, segundo dados divulgados pelo INE.
    De acordo com os números do Instituto Nacional de Estatística (INE), depois de terem aumentado 11,5 por cento de Janeiro a Março, as novas encomendas na construção e obras públicas caíram 13,7 por cento no segundo trimestre, face ao anterior.

    A variação média anual foi negativa em 2,6 por cento.

    Segundo o INE, esta desaceleração do valor das encomendas resultou de uma variação homóloga negativa de 10,8 por cento no segmento de Construção de Edifícios (menos 1,8 pontos percentuais do que o verificado no primeiro trimestre de 2008).

    O segmento Obras de Engenharia, por sua vez, passou de uma variação homóloga de 72,2 por cento para 53,2 por cento no primeiro e segundo trimestres de 2008, respectivamente.

    De Abril a Junho, comparativamente ao trimestre precedente, o índice de novas encomendas na construção diminuiu 13,7 por cento, enquanto no mesmo trimestre de 2007 se tinha registado uma diminuição de 6,7 por cento, acrescenta o INE.

    Os dois segmentos registaram assim comportamentos negativos, tendo o de Obras de Engenharia descido 28,7 por cento face a igual período do ano passado, enquanto que o segmento de Construção de Edifícios apresentou uma diminuição de 4,2 por cento em relação ao segundo trimestre do ano passado.

    O Índice de Novas Encomendas na Construção e Obras Públicas, publicado trimestralmente pelo INE, tem como objectivo fornecer informação sobre a evolução em valor da procura de produtos e serviços, bem como fornecer uma indicação acerca da produção futura.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.