Europeias

“Não tenho nem nunca tive a ideia de que somos uns ‘pedinchões’ na União Europeia”

“Não tenho nem nunca tive a ideia de que somos uns ‘pedinchões’ na União Europeia”

 

Rui Jorge Cabral   Regional   7 de Mai de 2019, 08:59

André Bradford, candidato do PS/Açores em lugar elegível (5.º na lista nacional do PS) nas eleições para o Parlamento Europeu do dia 26 de maio defende uma nova visão para as políticas relacionadas com a ultraperiferia e diz que os Açores também dão à União Europeia. Afirma ainda que a solução a adotar pelo PSD será sempre pior do que ter um eurodeputado

Nestas eleições para o Parlamento Europeu adotou o slogan ‘A voz dos Açores na Europa’, que acaba por ter um significado prático. Alguma vez pensou, quando avançou para esta candidatura, que iria ‘sozinho’, enquanto candidato dos Açores em lugar elegível a estas eleições?
Não! Nunca pensei... E devo dizer com muita sinceridade que preferia não ir sozinho em termos de candidatos elegíveis de outros grupos políticos que pudessem representar os Açores. Nós temos tido em mais de 20 anos a felicidade de ter sempre dois representantes dos Açores no Parlamento Europeu, nos dois maiores grupos políticos.
Mas por decisões que não dizem respeito à minha candidatura, nem ao Partido Socialista e em circunstâncias que são próprias da vida interna do PSD, serei apenas eu... O que eu decidi, a partir do momento em que isso aconteceu, foi assumir essa responsabilidade e fá-lo-ei com toda a dedicação e todo o empenho, mas consciente de que se fôssemos dois era mais fácil.


Pode ler na íntegra a entrevista a André Bradford na edição desta terça-feira, 7 maio 2019, do jornal Açoriano Oriental. Pode também ouvir na íntegra na Açores TSF, depois do noticiário das 14 horas




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.