NATO

Monarquias do Golfo enfrentam os mesmos problemas que países da Aliança


 

Lusa / AO online   Internacional   29 de Out de 2009, 14:54

O secretário-geral da NATO, Anders Fogh Rasmussen, advertiu que as monarquias petrolíferas do Golfo enfrentam os mesmos riscos, entre os quais o terrorismo, que os países da Aliança Atlântica.
"Os mesmo riscos e ameaças afectam cada vez mais a segurança dos nossos países", declarou Rasmussen dirigindo-se aos participantes numa conferência sobre as relações entre a NATO e os Emirados Árabes Unidos.

Entre os riscos, referiu "o extremismo, o terrorismo, o crime transfronteiriço e o facto dos mais perigosos terroristas poderem aceder às armas mais perigosas", numa alusão às armas nucleares.

"A Aliança atribui uma grande importância à vossa segurança", acrescentou, dirigindo-se às monarquias do Golfo, e adiantou: "Temos um interesse comum em ajudar países como o Afeganistão e o Iraque a levantarem-se, em promover a estabilidade no Médio Oriente e em impedir que países como a Somália e o Sudão se afundem mais no caos".

Rasmussen, cujas declarações foram divulgadas pela agência oficial Wam, lembrou ainda a preocupação da NATO face ao programa nuclear do Irão.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.