Milhares de casas ameaçadas pela subida do mar na Austrália

 Milhares de casas ameaçadas pela subida do mar na Austrália

 

Lusa/AO Online   Internacional   27 de Out de 2009, 08:07

A Austrália corre o risco de ter de evacuar algumas zonas costeiras devido à subida do nível do mar, que ameaça milhares de casas, segundo um relatório oficial hoje publicado.

Um grupo de trabalho sobre alterações nos oceanos recomenda medidas urgentes para proteger as costas australianas da subida prevista de mais de 80 centímetros do nível do mar este século.

De acordo com o documento, 80 por cento dos australianos vive nas regiões costeiras e há cerca de 711 000 habitações situadas até três quilómetros da beira-mar.

O relatório exorta as autoridades a considerar "o meio de proibir a continuação da ocupação dessas zonas e a construção de projectos imobiliários, devido ao risco causado pelo mar".

O documento formula também uma série de recomendações, como um programa nacional para o litoral, uma melhor cooperação entre as diferentes autoridades e uma revisão dos planos de urbanismo, tendo em conta a erosão dos solos e as alterações climáticas.

Todas as grandes cidades australianas estão situadas na costa, bem como as residências de cerca de seis milhões de pessoas, fora dos grandes centros urbanos.

A Austrália comprometeu-se a reduzir até 25 por cento as suas emissões de gases com efeito de estufa até 2020 em relação ao volume dos de 2000, ou seja 15 por cento mais do que estava previsto.

O governo australiano precisou no entanto que esse objectivo só será assumido se os dirigentes mundiais acordarem reduções "ambiciosas" na cimeira sobre o clima marcada para Dezembro em Copenhaga.

A Conferência de Copenhaga, a decorrer entre 07 e 18 de Dezembro, tem por objectivo elaborar um novo tratado internacional sobre o clima para substituir o protocolo de Quioto, que expira em 2012.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.