Açoriano Oriental
Livro sobre lusodescendente Devin Nunes vai ter sequela com foco no 'impeachment'

O lusodescendente Devin Nunes, líder do Comité de inteligência da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, é novamente o pretexto para um novo livro de Lee Smith, que pretende publicar “nos próximos meses” uma sequela.

article.title

Foto: freeimages.com
Autor: AO Online/ Lusa

"Estou a trabalhar numa sequela neste momento, em que o congressista continua a ser um grande ‘player’", disse à Lusa o autor.

A sequela continua a narrativa de "The Plot Against the President: The True Story of How Congressman Devin Nunes Uncovered the Biggest Political Scandal in U.S. History", que Lee Smith publicou no final de outubro de 2019, numa edição da Central Street.

O título, em tradução livre, refere-se a uma trama contra o Presidente Donald Trump e a história de como Devin Nunes diz ter descoberto o maior escândalo político da história dos Estados Unidos.

Devin Nunes continua no Comité de inteligência da Câmara dos Representantes, agora como mais alto representante do partido Republicano, depois de a maioria naquela câmara baixa do Congresso ter passado para as mãos dos Democratas nas eleições intercalares de 2018.

O novo livro "está muito relacionado com o ‘impeachment’", afirmou Lee Smith, que caracterizou o trabalho como estando ainda "na fase inicial". O julgamento do ‘impeachment’ do Presidente Donald Trump no Senado começou no passado dia 22 de janeiro.

O autor referiu abertura para uma edição em português, considerando que é "um livro sobre um herói luso-americano".

"Se houver um editor português ou brasileiro que gostasse de comprar o livro e traduzi-lo, seria fantástico", afirmou.

Lee Smith escreveu com base em conversas com Devin Nunes mantidas durante cerca de dois anos e adotou o posicionamento do congressista lusodescendente, que considera a investigação de conluio entre a campanha de Donald Trump e a Rússia uma teoria da conspiração e acredita ter descoberto uma trama muito mais grave.

A narrativa parte, segundo o autor, do que aconteceu em março de 2017, quando Devin Nunes, que já liderava o Comité de inteligência da Câmara dos Representantes, anunciou que viu provas "de que a administração Obama tinha espiado a equipa de Trump".

"Quando ele disse essas coisas, pôs um alvo na sua testa. Toda a gente começou a atacá-lo", afirmou Lee Smith.

"Não foram apenas os Democratas, foi também a comunicação social, os burocratas, e muitos Republicanos também não acreditaram nele", acrescentou.

O autor quis escrever da perspetiva de Devin Nunes porque considerou que o que ele fez foi "impressionante" e concordou com a sua posição de que este é "o maior escândalo político da história dos Estados Unidos".

Lee Smith afirmou que "o ‘feedback’ tem sido extremamente positivo" e as vendas satisfatórias.

O livro inclui uma descrição do que o autor chamou "campanha contra Devin Nunes", em que "houve muito dinheiro gasto para o tentar destruir", o que resultou numa reeleição em 2018 com a menor margem desde que entrou na Câmara dos Representantes, em 2002, pelo 22.º distrito da Califórnia.

O congressista lusodescendente está envolvido em vários processos legais contra os seus críticos, incluindo a estratega Republicana Liz Mair, a rede social Twitter e alguns dos seus utilizadores anónimos e também meios de comunicação social, como a CNN e o jornal Fresno Bee, jornal diário da cidade de Fresno, do Estado da Califórnia.

Devin Nunes é neto de açorianos e um de três luso-americanos no congresso norte-americano, juntamente com Jim Costa, Democrata eleito pelo 16.º distrito da Califórnia, e Lori Loureiro Trahan, Democrata pelo 3.º distrito do Massachusetts.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.