Direitos humanos

Karadzic não se pronunciará sobre crimes de que é acusado


 

Lusa/AO online   Internacional   29 de Ago de 2008, 11:12

O advogado do antigo líder sérvio bósnio Radovan Karadzic afirmou que o seu cliente não se pronunciará sobre os crimes de que é acusado no Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslavia (TPI).
    "Acordámos que Karadzic não se pronunciará hoje (sobre a sua alegada culpa) porque a acta de acusação (definitiva) não foi redigida", disse Goran Petronijevic, um dos advogados de Radovan Karadzic.

    "Não vos posso dizer quando ele [Karadzic] se pronunciará, ainda não estabelecemos esse ponto", adiantou.

    Petronijevic proferira declarações semelhantes, quinta-feira à noite, à televisão pública sérvia (RTS).

    O juiz Iain Bonomy deverá perguntar a Radovan Karadzic se se dá como culpado, ou não, das 11 acusações de crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio que pendem contra o antigo responsável, pela sua alegada participação na guerra da Bósnia (1992-1995), que fez mais de 100.000 mortos e 2,2 milhões de deslocados.

    Antes da comparência inicial de Karadzic, a 31 de Julho, Serge Brammertz, o Procurador do Tribunal Penal Internacional (TPI) para a ex-Jugoslávia, afirmou que iria introduzir "o mais rapidamente possível" uma nova versão, actualizada, da acta de acusação, cuja última versão data de 2000.

    Na primeira comparência em tribunal, o acusado optou por utilizar o direito legal de reflexão de 30 dias.

    Karadzic foi detido após 13 anos em fuga, tendo acabado por ser extraditado para Haia em Julho. Ao ser preso num autocarro de Belgrado, o seu rosto estava escondido sob uma espessa barba branca e um rabo-de-cavalo no cabelo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.