Hugo Chávez reeleito com 54,42% dos votos

Hugo Chávez reeleito com 54,42% dos votos

 

Lusa/AO Online   Internacional   8 de Out de 2012, 08:52

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, venceu as eleições presidenciais de domingo na Venezuela, obtendo 7.444.082 votos, 54,42%, anunciou a presidente do Conselho Nacional Eleitoral, Tibisay Lucena.

"O candidato Hugo Rafael Chávez Frías, obteve 7.444.082 (54,2%) votos, o candidato Henrique Capriles Radonski, obteve 6.151.544 (44,97%). A candidata Reina Sequera obteve 64.281 votos (0,46%). O candidato Luís Alfonso Reyes 7.372 votos (0,05%). Maria Josefina Bolívar obteve 6.969 votos (com 0,05%) e Orlando Chirinos 3.706 votos (0,02 por cento)", disse.

Segundo a presidente do CNE estes resultados correspondem ao momento em que está efetuada "90% da transmissão" das atas eleitorais, tendo sido registados 13.677.934 votos válidos e 263.954 votos nulos, o que corresponde a uma participação de 80,94% dos eleitores.

Tibisay Lucena voltou a destacar "o comportamento cívico e democrático do povo todo da Venezuela", sublinhando que culminou "uma página brilhante dentro da democracia venezuelana".

"Uma vez mais tivemos um processo eleitoral tranquilo, sem sobressaltos, com a alegria deste povo que decidiu votar massivamente no dia de hoje. Alcançámos uma das mais altas participações que tivemos nas últimas décadas, por isso queremos felicitar especialmente a todas as eleitores e eleitores que foram hoje votar", disse.

Por outro lado, destacou o apoio das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas e dos homens e mulheres que trabalharam para que as eleições se realizassem.

"Queremos destacar o labor que as organizações políticas fizeram ao longo deste processo, mas não somente no dia de hoje, mas ao longo de todo o ano, porque nos acompanham no planeamento dos processos eleitorais", disse.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.