Euronext Lisboa fecha em alta


 

Lusa/AO online   Economia   17 de Out de 2007, 19:03

A Euronext Lisboa fechou  em terreno positivo, em sintonia com as congéneres europeias, a subir 0,86 por cento, sem nenhum título no vermelho.
     Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, 18 subiram e dois ficaram inalterados, numa sessão de boa liquidez em que foram transaccionados 55,3 milhões de títulos, no valor de 271,4 milhões de euros.

    Destaque para as subidas acima de 1 por cento dos pesos pesados EDP e BCP.

    A Europa terminou a sessão em terreno positivo, depois dos grupos franceses Danone e Carrefour terem anunciado um aumento das vendas.

    As vendas da Carrefour atingiram o valor mais alto desde Março e as vendas da Danone alcançaram o nível mais elevado desde Fevereiro.

    Destaque ainda para as empresas do sector tecnológico, como a Infineon Technologies e a STMicroelectronics, que valorizaram depois da norte-americana Intel ter anunciado que o lucro aumentou 43 por cento no terceiro trimestre do ano, face ao período homólogo.

    O índice de referência DJ Stoxx 50 fechou a subir 0,32 por cento, para 3.876,00 pontos, e o Euronext 100 encerrou a ganhar 0,78 por cento, para 1.041,30 pontos.

    As valorizações entre as congéneres da bolsa portuguesa oscilaram entre os 0,99 por cento de Madrid e os 0,21 por cento de Frankfurt.

    Milão foi a única praça que fechou a cair 0,49 por cento.

    Na bolsa portuguesa, realce para a EDP, que subiu 1,42 por cento, para 4,29 euros, e para o BCP, que ganhou 1,29 por cento, para 3,15 euros.

    As acções da eléctrica nacional foram as mais negociadas com 21,7 milhões de papéis a mudarem de mãos, no valor de 93 milhões de euros.

    A Altri liderou os ganhos do PSI 20 ao valorizar 4,18 por cento, para 5,73 euros, seguida pela Cimpor, que subiu 2,45 por cento, para 6,16 euros.

    A Jerónimo Martins avançou 2,16 por cento, para 4,72 euros, a Mota Engil ganhou 1,67 por cento, para 6,08 euros, e a Semapa cresceu 1,56 por cento, para 11,70 euros.

    No grupo Sonae, a Sonae Indústria subiu 1,15 por cento, para 8,77 euros, a Sonaecom ganhou 0,83 por cento, para 3,63 euros, e a Sonae SGPS cresceu 0,51 por cento, para 1,99 euros.

    A PT Multimédia recuperou da queda das sessões anteriores e fechou a subir 0,68 por cento, para 10,30 euros.

    A PT fechou inalterada, assim como a Brisa.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.