Açoriano Oriental
Estudo em escola revela que Internet é cada vez mais usada para ameaçar colegas
Um trabalho de investigação da universidade de Aveiro (UA) conclui que crescem as ameaças através da Internet entre colegas de escola, para evitarem sanções disciplinares, num fenómeno em expansão, o chamado 'cyberbullying'.
article.title

Foto: Direitos Reservados
Autor: Lusa/AO online

 

“Este é um problema que diz respeito a toda a sociedade e não apenas às escolas”, aponta José Ilídio Sá, autor da tese de doutoramento "Bullying nas Escolas: Prevenção e Intervenção", realizada no Departamento de Educação da UA, que durante um ano letivo estudou o comportamento de alunos de uma escola secundária de Espinho.

“O 'cyberbullying' traduz inquestionavelmente uma forma mais complexa de 'bullying'. Em muitos casos, surge como a continuação do 'bullying' presencial, mas noutras situações desponta como o “espaço predileto do agressor”, explica o investigador.

O anonimato ou a falsa identidade do ofensor, a enorme quantidade de observadores presentes, a velocidade “viral” de propagação das ofensas, agressões e humilhações, são fatores que levam os agressores a fazer essa escolha.

Para a executar, dispõem hoje de variados meios ao seu dispor, como 'smartphones' com câmara fotográficas e de vídeo, tablets, numerosos postos com computadores disponíveis e facilidade de acesso à Internet.

“É uma nova forma de violência que amplia as consequências do 'bullying' tradicional. A difusão de ameaças, difamações e violência psicológica através da Internet é um meio cada vez mais utilizado pelos jovens para ofender terceiros”, retrata.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.