Empreendedorismo jovem permanece aquém do desejado


 

Rui Leite Melo   Regional   10 de Dez de 2008, 09:39

Apesar de participada por muitas centenas de jovens oriundos de diversos estabelecimentos de ensino e de formação profissional, ontem nem todos sabiam o que faziam na Gala do Empreendedor 2008, que teve lugar no Teatro Micaelense.
Alguns admitiam mesmo nem sequer saber o significado da palavra empreendedorismo. Esta realidade acaba por ser uma das motivações para a realização da cerimónia de ontem, surgida no âmbito do Concurso Regional de Empreendedorismo 2008, da responsabilidade da Secretaria Regional da Economia.
Um concurso que de há três anos a esta parte procura estimular junto dos jovens recém formados a iniciativa de criarem a sua própria empresa, ao invés de se limitarem a integrar o mercado de trabalho, cujas ofertas são cada vez mais limitadas. Arnaldo Machado, director regional de Apoio ao Investimento e à Competitividade  expressou isto mesmo no início da cerimónia. Conforme o governante, “o empreendedorismo está ainda numa fase incipiente. O Governo tem desenvolvido diversas medidas a fim de estimular o sentido de risco e de vontade para se criarem  negócios através da juventude, tanto que já não há empregos para toda a vida. Cada vez mais, é importante atrair gente para o mundo dos negócios e penso que, a pouco e pouco, cada vez mais essa ideia vai ser conhecida e produzirá frutos em termos de criação de novas empresas”, pelo que considera ser esta “mais uma ocasião entre outras para se falar de empreendedorismo junto dos mais jovens e menos informados”. Apesar da mensagem ainda não ter a difusão que se pretende, a verdade é que têm surgido projectos e ideias bastante válidas, isto a ver pelos premiados deste ano do Concurso Regional de Empreendedorismo.
O vencedor foi um projecto no âmbito do tratamento de células estaminais. “O  concurso regional de empreendedorismo tem como principal objectivo atrair os jovens para o mundo dos negócios e fazer com que eles apresentem planos de negócios exequíveis, que respondam a necessidades de mercado, que tenham carácter inovador e que tragam  uma mais-valia para a nossa economia”, sintetizou Arnaldo Machado.
Tendo também contado com a presença do director regional da Juventude, a cerimónia relativa à Gala do Empreendedor 2008 contemplou ainda uma palestra sobre empreendedorismo proferida por Francisco Banha, presidente da Federação Portuguesa de Business Angels. Uma intervenção que mais do que apelar, pretendeu passar a mensagem da importância, actualidade e mais-valias sócio-económicas do empreendedorismo, nomeadamente junto dos mais jovens. Alguns considerandos sobre a exequibilidade de um projecto e outras tantas “ dicas” para se alcançar sucesso através de uma ideia e investimento próprio, acabaram por prender a atenção dos muitos potenciais empresários.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.