Economia

Berta Cabral propõe reestruturação de dívidas para salvar emprego

Berta Cabral propõe reestruturação de dívidas para salvar emprego

 

Lusa/AO online   Regional   3 de Out de 2011, 18:33

A líder do PSD/Açores, Berta Cabral, alertou para a necessidade de um plano de reestruturação das dívidas à segurança social e ao fisco que permita às empresas da região resolver problemas de tesouraria e de acesso ao crédito.
Falando na qualidade de presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada no encerramento de uma conferência integrada no ciclo "Portugal, a soma das partes", promovido pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, a dirigente social-democrata sustentou que do relançamento da actividade das empresas depende a manutenção de postos de trabalho, que deve ser considerada a principal prioridade.

Numa altura em que o "desemprego não pára de aumentar", atingido já 9,7 por cento da população activa do arquipélago e em que "mais de 30 mil famílias vivem com menos de 540 euros/mês", "toda a política pública de incentivos e apoios deve ter como orientação a manutenção de postos de trabalho", considerou Berta Cabral.

"É preciso aliviar as empresas de uma situação financeira sufocante, para que elas possam relançar-se em termos económicos", insistiu, preconizando alterações às ajudas ao investimento que permitam diferir no tempo os prazos dos reembolsos.

Alegando que região vive hoje "um das mais difíceis conjunturas dos últimos tempos", a presidente do PSD/Açores defendeu também a importância do investimento público se fazer "lançando obras de menor dimensão ou de forma faseada para dar mais oportunidades de trabalho aos empresários regionais".

Apesar de reconhecer que o arquipélago tem vindo a "acumular vários desequilíbrios, incluindo os de natureza macroeconómica" e a registar "taxas de crescimento inferiores" às verificadas na Europa, Berta Cabral classificou de "inaceitável "qualquer atitude de resignação".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.