Autarca do Corvo realça vantagens económicas e sociais


 

Lusa / AO online   Regional   20 de Set de 2007, 21:37

O presidente da Câmara Municipal do Corvo, uma das duas ilhas açorianas classificadas pela UNESCO como Reservas da Biosfera, afirmou hoje que o novo estatuto ambiental vai trazer vantagens económicas e sociais para a ilha.
Fernando Pimentel adiantou à agência Lusa que já tinha indicações de que a candidatura do Governo Regional iria ser aprovada pelo órgão competente da UNESCO.

“Desde a primeira hora que toda a população estava envolvida neste projecto”, afirmou o autarca, garantindo que, agora, iria “espalhar a notícia” pelos cerca de 400 habitantes da mais pequena ilha dos Açores.

A agência Lusa tentou obter uma reacção do presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa, o que não foi possível até ao momento.

Também o PSD/Açores, pela voz do deputado José Manuel Nunes, eleito pelo Corvo, se congratulou com a classificação, numa intervenção feita na Assembleia Regional.

As ilhas do Corvo e da Graciosa foram classificadas pela UNESCO como Reservas da Biosfera, na sequência de uma candidatura apresentada pelo Governo Regional.

A classificação das duas ilhas está integrada num pacote de 23 novas reservas naturais da biosfera, aprovadas pelo Beureau do Conselho Internacional de Coordenação do Programa da UNESCO "O Homem e a Biosfera", que se reuniu em Paris.

Da responsabilidade da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), a rede mundial de Reservas da Biosfera inclui zonas classificadas em todos os continentes, como o Pantanal e a Amazónia (Brasil), Yellowstone e Deserto Mojave (EUA), Monte Olympus (Grécia) e o delta do Rio Vermelho (Vietname).

O Governo açoriano esteve a trabalhar neste processo desde 2005, mas só em Abril deste ano apresentou a candidatura oficial de duas das nove ilhas à Rede Mundial de Reservas da Biosfera.

O Corvo, a ilha mais pequena do arquipélago açoriano, tem cerca de quatro centenas de habitantes, enquanto que a Graciosa possui pouco mais de cinco mil pessoas.

A classificação de uma zona como Reserva da Biosfera tem como principal função a defesa e protecção da biodiversidade, o desenvolvimento sustentado e o conhecimento científico.

Com esta classificação, Portugal passa a ter três Reservas da Biosfera, sendo que, até agora, o país dispunha de uma única zona com tal estatuto - a Reserva Natural do Paul do Boquilobo (Golegã).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.