Artista plástica Joana Vasconcelos cria uma fundação

Artista plástica Joana Vasconcelos cria uma fundação

 

Lusa/AO Online   Nacional   2 de Out de 2013, 12:58

A artista plástica Joana Vasconcelos criou uma fundação com o seu nome, com o objetivo de preservar o seu trabalho, criar uma coleção de arte e bolsas de estudo para estudantes, afirmou à agência Lusa o diretor, Ricardo Vasconcelos.

 

A Fundação Joana Vasconcelos, totalmente privada, só deverá ser oficializada em 2014, mas o reconhecimento por parte do Governo foi publicado hoje em Diário da República, assinado pelo ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes.

"A fundação foi criada para preservar a obra da artista, ir guardando desenhos, as coisas que tem feito. Estamos a trabalhar numa base de dados da obra dela. Vamos criar ainda uma coleção de arte com obras de outros artistas nacionais e internacionais, com os quais Joana Vasconcelos tem trabalhado", disse o diretor da fundação.

Outro dos objetivos do organismo é criar bolsas de estudo para estudantes de artes, não necessariamente artes plásticas, e que pode incluir também os países do universo da lusofonia, acrescentou.

A sede da fundação será o atelier de Joana Vasconcelos em Lisboa e a futura coleção de arte poderá ser visitável, afirmou Ricardo Vasconcelos, referindo ser ainda "prematuro" revelar qual será o orçamento para gerir o organismo.

A nova fundação terá de se reger pela nova Lei-Quadro das Fundações, aprovada pelo Governo no ano passado e que se aplica a todo o tipo de fundações públicas e privadas, exceto as instituições de ensino superior públicas.

A nova lei impõe regras destinadas a tornar a atividade destes organismos mais transparente, obrigando a comunicar a composição dos respetivos órgãos e enviar contas anuais à presidência do Conselho de Ministros, bem como a divulgar estas e outras informações na Internet, sob pena de perderem apoios financeiros no ano seguinte ao do incumprimento, e enquanto este se mantiver.

As fundações privadas só poderão solicitar o estatuto de utilidade pública ao fim de três anos "de efetivo e relevante funcionamento", a não ser que o instituidor ou instituidores maioritários já possuam este estatuto.

Joana Vasconcelos, nascida em Paris em 1971, expõe regularmente desde os anos 1990 e tem várias obras - sobretudo esculturas e instalações - representadas em coleções de arte públicas e privadas.

Entre as obras mais emblemáticas do seu percurso artístico constam sapatos de salto alto, de grandes dimensões e feitos com panelas, corações feitos com talheres de plástico, faiança de Bordalo Pinheiro coberta de renda ou um lustre criado com tampões higiénicos femininos.

"Utilizo vários materiais do quotidiano, coisas que as pessoas conhecem. No fundo, consigo um cruzamento entre o quotidiano, o dia-a-dia das pessoas, e uma poética que é reservada às artes plásticas, e que passa por redimensionar o nosso quotidiano e perspetivá-lo para o futuro", afirmou Joana Vasconcelos à agência Lusa em agosto passado.

A artista plástica foi responsável este ano pela exposição individual mais visitada em Portugal, com 232.000 visitantes, que esteve patente até agosto no Palácio da Ajuda, em Lisboa.

No ano passado, Joana Vasconcelos expôs no Palácio de Versalhes, em Paris, por onde passaram mais de 1,6 milhões de visitantes, batendo recordes de meio século de exposições em França.

Nascida em Paris, em 1971, Joana Vasconcelos representa Portugal na Bienal de Veneza até ao final de novembro, com um cacilheiro, intitulado "Trafaria Praia", que diariamente circula na lagoa veneziana.

O cacilheiro sofreu uma intervenção artística no exterior, com uma faixa de azulejos que mostram uma vista panorâmica de Lisboa e, no interior, com um revestimento a cortiça e têxteis em tons de azul e branco.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.