Alcoólicos não têm aumentado, mas crescem pedidos de tratamento

Alcoólicos não têm aumentado, mas crescem pedidos de tratamento

 

Lusa/AO Online   Nacional   3 de Nov de 2009, 17:03

O número de alcoólicos em Portugal não tem aumentado apesar de haver cada vez mais pessoas dependentes do álcool a pedirem tratamento.

Em declarações à agência Lusa, uma técnica de serviço social do Centro Regional de Alcoologia do Sul adiantou que uma explicação para esse fenómeno está no facto de haver mais recursos disponíveis, principalmente desde que os Centros de Alcoologia foram integrados no Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT).

"Passou a haver mais recursos na sociedade porque neste momento as pessoas são também orientadas para as estruturas do IDT", explicou Paula Sucena, que falava à Lusa no final de uma reunião de informação pública dos grupos de Alcoólicos Anónimos, em Lisboa.

Apesar de não ter dados estatísticos que suportem esta tendência, a técnica não tem dúvidas em afirmar que a procura por tratamento contra a dependência do álcool tem vindo a aumentar.

"Ao nível do nosso serviço continuamos a ser muito procurados, com muitas consultas, os internamentos estão sempre completos, mas não tenho dados para dizer quanto aumentou", referiu Paula Sucena.

Já no que diz respeito ao número de alcoólicos em Portugal, a técnica de saúde disse ter a percepção de que o número não tem aumentado.

"Aquilo que há, sem dúvida, são outras formas de consumos. Há outros padrões, particularmente no grupo dos nossos jovens, em que os seu padrões de consumo são mais preocupantes", referiu, acrescentando que o número total de dependentes do álcool ronda as 700 mil pessoas.

Da parte dos Alcoólicos Anónimos, a percepção em relação a esta realidade é idêntica. Apesar de preferirem não fazer considerações sobre se o número de alcoólicos tem aumentado ou não, acreditam que tem aumentado o número de pessoas que pedem ajuda.

"Isso acontece porque há uma maior consciência pública do problema, uma maior divulgação da gravidade da situação no nosso país e também porque nós actualmente temos um serviço de atendimento telefónico, temos uma página na Internet e onde está toda a informação acerca da nossa comunidade", defendeu António (nome fictício), membro desta associação.

A reunião de informação pública dos AA, dirigida a todos os profissionais que trabalham com alcoólicos, serviu para divulgar o trabalho realizado por esta associação, apresentando-se como mais uma plataforma no tratamento destes doentes.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.