ACIDI acredita que investimento público pode atrair imigrantes

ACIDI acredita que investimento público pode atrair imigrantes

 

Lusa/AO Online   Economia   30 de Dez de 2009, 16:25

A Alta Comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI) acredita que os grandes investimentos públicos farão permanecer os imigrantes em Portugal e ainda atrairão mais.

Falando à margem da assinatura de um protocolo, em Lisboa, com a União Geral de Trabalhadores (UGT), Rosário Farmhouse, comentava números do Instituto Nacional de Estatística segundo os quais Portugal é cada vez menos atractivo para os imigrantes.

A responsável lembrou que, no contexto da crise, o “fluxo” de mobilidade de pessoas está “estagnado em todo o mundo”.

Para Farmhouse, se há dificuldades generalizadas, as pessoas podem preferir manter-se no seu país. No entanto, admite que possa haver aumento dos números dos imigrantes em Portugal por causa dos reagrupamentos por amizade ou família, como acontece, por exemplo, na comunidade imigrante ucraniana.

“Se a Economia começar a desenvolver-se e houver a aposta nas grandes obras públicas acredito que os imigrantes fiquem e que outros possam vir”.

O secretário-geral da UGT, João Proença, lembrou, por seu lado, que muitos dos imigrantes que saem de Portugal não regressam aos seus países de origem, mas mantêm um fluxo de imigração.

A sua previsão é que, actualmente, oito a 10 por cento da população activa portuguesa seja imigrante.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.