Açoriano Oriental
SATA Air Açores cancelou 15 dos 32 voos planeados devido à greve dos técnicos de manutenção

A greve dos técnicos de manutenção de aeronaves da SATA Air Açores obrigou este sábado ao cancelamento de 15 ligações inter-ilhas das 32 planeadas, anunciou hoje a companhia aérea.

SATA Air Açores cancelou 15 dos 32 voos planeados devido à greve dos técnicos de manutenção

Autor: AO Online/ Lusa

“Em consequência do primeiro dia de paralisação dos técnicos de manutenção de aeronaves da SATA Air Açores foram canceladas 15 ligações inter-ilhas das 32 ligações planeadas, tendo sido possível transportar 1.083 passageiros, até às 16:00 [hora local, mais uma em Lisboa]”, adiantou hoje ao final do dia a companhia aérea açoriana, em comunicado de imprensa.

A greve, que se prolonga até segunda-feira, foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (Sintac) e pelo Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (Sitema), afetando apenas os voos inter-ilhas.

O Tribunal Arbitral decretou a realização de 16 ligações durante o dia hoje, 18 no domingo e 22 na segunda-feira.

Segundo a SATA, foi “acionado um plano de contingência que permitiu reacomodar, antecipadamente, a maioria dos passageiros com reservas efetuadas” nestas datas.

Ainda assim, adiantou, em comunicado de imprensa, “encontram-se por reacomodar 166 passageiros, que ainda não chegaram ao seu destino final”, a quem “tem sido prestada assistência em terra, designadamente alojamento, refeições e transporte”.

A companhia aérea salientou que se verificaram “congestionamentos suplementares e a necessidade de reacomodar um número considerável de passageiros em voos alternativos ou suplementares”, devido às condições atmosféricas adversas registadas nos últimos dias.

Na quinta-feira, o mau tempo obrigou ao cancelamento de oito voos da SATA Air Açores e da Azores Airlines (que efetua ligações para o exterior do arquipélago), afetando cerca de 1.000 passageiros.

Na sexta-feira, foram ainda afetados outros 1.200 passageiros, devido ao mau tempo e a uma avaria numa aeronave.

Contactado pela Lusa, ao início da tarde, o porta-voz da companhia aérea, António Portugal, disse que os passageiros da Azores Airlines seriam todos reacomodados noutros voos hoje, mas o mesmo não seria possível assegurar aos passageiros da SATA Air Açores.

Em comunicado de imprensa, a transportadora aérea lamentou “o transtorno causado”, acrescentando que “continuará a desenvolver todos os esforços no sentido de minorar os inconvenientes que esta situação tem causado aos seus clientes”.

Segundo o dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC), Filipe Rocha, a adesão à greve foi de 100% e deverá manter-se igual no segundo dia.

“A adesão será certamente igual. A nossa expectativa era que a empresa, percebendo que os trabalhadores não vão arredar das suas convicções, nos chamasse e que chegássemos a acordo, uma vez que não estamos longe e que já cedemos muito naquilo que eram as pretensões iniciais deste grupo de trabalhadores, mas a empresa parece não estar preocupada com o Natal da população”, salientou, em declarações à Lusa.

Filipe Rocha disse que não houve qualquer contacto da companhia aérea para retomar as negociações, mas manifestou vontade do sindicato para o fazer.

“Havendo uma aproximação daquilo que nos separa, nós teríamos tido toda a vontade para suspender e ainda temos vontade de suspender este pré-aviso de greve, desde que a empresa seja consciente daquilo que é a sua capacidade negocial”, afirmou.

Os trabalhadores reivindicam uma “valorização profissional”, alegando que há funcionários “constantemente a sair” para outras companhias aéreas.

“É uma carreira que está muito valorizada no mercado e que a empresa não quer reconhecer. E também há uma necessidade de fixar na SATA estes trabalhadores, que têm uma certificação difícil de obter e que a empresa está a deixar sair todos os anos, porque não paga de acordo com o que o mercado está a indicar que deve pagar”, referiu o dirigente do Sintac.

Os técnicos de manutenção de aeronaves da SATA Air Açores já se encontravam em greve à realização do trabalho noturno a efetuar das 24:00 às 08:00, bem como à prestação de trabalho extraordinário, desde 28 de outubro.

Para a companhia aérea, as reivindicações apresentadas “continuam a ser consideradas incomportáveis pelo conselho de administração”, tendo em conta o “difícil contexto que atravessam as empresas que constituem o grupo empresarial”.

O grupo SATA fechou 2018 com um prejuízo de 53,3 milhões de euros, um agravamento de 12,3 milhões face ao ano de 2017.

De acordo com o relatório de contas do primeiro semestre de 2019, o grupo registou prejuízos de 26,9 milhões de euros na Azores Airlines e de 6,6 milhões na SATA Air Açores nos primeiros seis meses do ano.



 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.