Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   17 de Nov de 2008, 05:14

A detenção de vários membros de uma claque benfiquista por posse de droga e armas é hoje destacada na maioria dos jornais de Lisboa, que ainda falam do futuro da PJ e da polémica sobre avaliação dos professores.
 "Claque apanhada com 15 kg de droga" escreve em manchete o Correio da Manhã, adiantando que a polícia deteve 29 membros da claque benfiquista No Name Boys.

    O Diário de Notícias frisa "Membros da claque do Benfica suspeitos de tráfico de droga", enquanto o Jornal de Notícias diz "Trinta membros de claque benfiquista detidos com armas, tochas e droga".

    O Público não puxa este assunto para capa e destaca a notícia de que o Estado foi burlado em 25 milhões de euros por uma rede de facturas falsas envolvendo empresas-fantasma de construção civil.

    "Incêndios já destruíram mais de mil habitações" na Califórnia, escreve o diário.

    Este jornal destaca também a ida de alguns dos principais responsáveis da PJ e do Ministério Público a Haia, na Holanda, para se encontrarem com as autoridades britânicas por causa da alegada corrupção no licenciamento do Freeport de Alcochete.

    O Público realça que Durão Barroso pode vir, já em Dezembro, a ser reconduzido na presidência da Comissão Europeia.

    "Já há professores a admitir não dar notas a alunos" lê-se na manchete do Diário de Notícias, que adianta que esta é a "bomba atómica" que os docentes escolheram para contestar a avaliação.

    O jornal titula ainda que a vacina do colo do útero já evitou 42 mortes.

    "Combustíveis descem mas consumo não sobe" e "PS desvaloriza corte de Alegre" são outros títulos do Diário de Notícias.

    O Correio da Manhã salienta o triunfo do Benfica frente ao Estrela da Amadora por 1-0, escrevendo "Vitória sem brilho".

    Este assunto consta também da capa do Jornal de Notícias que escreve "Rendimento mínimo".

    A manchete deste jornal diz "Futuro da PJ é incerto e preocupa inspectores" e acrescenta: "Diploma que permitirá definir competências dos departamentos pronto dentro de duas semanas".

    O jovem que matou os pais à facada em Ílhavo, em 1999, quer sair da cadeia é o tema de capa do 24horas, que acrescenta que Tó-Jó poderá passar o Natal em casa, dado que é um "recluso exemplar".

    "Novo fundo de 1,2 mil milhões financia obras públicas" destaca o Diário Económico, esclarecendo que os grandes projectos de investimento portugueses vão ter à sua disposição um fundo europeu.

    Este diário diz ainda que "Começou a reforma da economia mundial", a propósito da cimeira do G20, que juntou este fim-de-semana em Washington os representantes de 85 por cento da riqueza mundial.

    O Jornal de negócios avança que três empresas apresentam balanços à prova de crise, referindo-se à Galp, Portucel e Jerónimo Martins.

    "Líderes mundiais festejam pequeno passo" escreve ainda o jornal a propósito da reunião do G20.

    O defesa central brasileiro Sidnei está nas primeiras páginas dos matutinos desportivos, por ter sido o autor do tento solitário da vitória “encarnada” sobre o Estrela da Amadora, cujos jogadores continuam sem receber salários desde o início da época.

    “Goleador surpresa”, escreve A Bola, sobre foto do jogador, referindo que “Sidnei marca pela terceira vezes e é o segundo melhor marcador encarnado na Liga”.

    O matutino observa que “quase metade dos golos do Benfica são apontados por defesas” e menciona a operação policial que resultou na detenção de “30 elementos dos No Name”, uma das claques (não reconhecidas) da Luz, por tráfico de droga, entre outras acusações.

    O jornal destaca “mais uma polémica com Vukcevic”, referindo que o jogador montenegrino do Sporting “foi para a selecção sem autorização do clube”, caindo sob a alçada disciplinar.

    “Sidnei deu asas à aguia”, titula O Jogo, sobre foto do central brasileiro, colocando na capa ainda a classificação dos seis primeiros na Liga.

    O matutino destaca o comentário de João Vieira Pinto ao jogo com o Estrela da Amadora, que sublinha que “losango de Quique [Flores, treinador do Benfica] não funcionou”.

    Em chamada no topo da página, o jornal diz que “Vuk foi embora sem autorização”.

    No Record uma imagem de Sidnei acompanha o título “Vale por 3”, explicando, “3 pontos, 3 vitórias consecutivas e 3 golos de Sidnei”.

    O jornal diz que a polícia “detém 30 elementos da claque” numa “operação No Name Boys”, acrescentando que “clube manifesta indignação com rusga na Luz”.

    O Record diz ainda que “Vukcevic partiu sem autorização” e está “sob alçada disciplinar da SAD leonina”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.