Revista de Imprensa


 

Lusa/AO Online   Nacional   10 de Out de 2009, 08:32

A atribuição do Prémio Nobel da Paz a Barack Obama faz hoje manchete em quase todos os jornais, que destacam ainda o aumento de mulheres assassinadas e a intenção do governo de fazer testes de álcool e droga nas empresas.

"O Nobel-surpresa" faz a primeira página do Público, que descreve como a notícia "percorreu o mundo" sexta-feira e desencadeou uma "vaga de emoções contraditórias".

De acordo com o diário, o presidente do Comité Nobel justificou a decisão com uma frase: "Foi porque queríamos apoiar aquilo que ele [Obama] está a tentar fazer".

Já o Diário de Notícias prefere escrever que o "Nobel da surpresa" vai "condicionar o presidente dos EUA", sublinhando que a atribuição do galardão é "para uns um incentivo ao presidente americano, para outros é um presente envenenado aos nove meses de mandato".

O "i" realça o "orgulho, a honra e mais um fardo às costas de Barack Obama" e sublinha que a distinção "explica-se pela intenção de reduzir as armas nucleares".

"Um Nobel de Esperança" titula por sua vez o Jornal de Notícias, assim como o Correio da Manhã destaca "Nobel é um apelo à acção" e o Diário Económico alerta para aquilo que o galardão "pode mudar na vida de Obama".

Na primeira página, o Correio da Manhã revela ainda que os casos de mulheres assassinadas este ano em Portugal estão a aumentar, divulgando que um agente da PSP matou a sua companheira.

O Diário de Notícias avança também que o Governo vai fazer testes de álcool e droga nas empresas até 2012 e o Diário Económico adianta que o Ministério Público tem um mês para acusar o ex-presidente do BPN, Oliveira e Costa.

A manchete do 24horas escreve que "Ronaldo despe-se para a Armani... mas nós queremos é que marques golos!", referindo-se ao contrato do jogador que é "conhecido na véspera do jogo decisivo para Portugal ir ao Mundial".

"Estou a aguardar os golos para o Mundial" titula O Jogo, que mostra Cristiano Ronaldo na primeira página, tal como A Bola que realça que a "selecção tem de vencer e esperar por deslize da Suécia na Dinamarca".

O jogo da selecção é também destaque no Record, a quem o Carlos Queiroz frisa que "a pressão é o nosso dia-a-dia".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.