Açoriano Oriental
PPM quer SATA e Governo Regional no parlamento para explicar falhas na operação de Natal

O Partido Popular Monárquico (PPM) disse que vai chamar a SATA (transportadora área açoriana) e a secretária dos Transportes à Assembleia Regional para explicar as "enormes falhas" na operação de Natal e fim de ano da companhia.

PPM quer SATA e Governo Regional no parlamento para explicar falhas na operação de Natal

Autor: Lusa/AO Online

"Dada a gravidade das situações ocorridas, a representação parlamentar do PPM decidiu chamar à Comissão de Economia a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas e um representante do conselho de administração do Grupo SATA em funções, para que os mesmos expliquem as enormes falhas ocorridas na operação aérea montada pela SATA no período que antecedeu o Natal e o fim de ano", lê-se em nota de imprensa assinada pelo deputado único do partido na assembleia dos Açores, Paulo Estêvão.

No comunicado, o PPM assinala que a SATA atribui os "enormes constrangimentos" às más condições atmosféricas e ao impacto da greve decretada pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil.

Os monárquicos destacam que esses fatores "não explicam tudo", criticando a falta de "assistência" prestada e os "longos períodos de espera", denunciando o caso de uma aeronave que partiu com "dezenas de lugares vazios", enquanto "deixava em terra os passageiros do voo anteriormente cancelado".

O PPM afirma que algumas situações foram tão graves que provocaram "autênticos motins" por parte dos passageiros, que obrigaram a intervenção policial e afetaram outras ligações da SATA.

"O Governo Regional e o grupo SATA têm de ser confrontados com as suas responsabilidades neste processo. Nem tudo o que aconteceu nos últimos dias está relacionado com a greve e o mau tempo. Existiu uma descoordenação brutal em variadíssimos aspetos da atividade da transportadora aérea", lê-se.

O partido critica o "longo período de transição" até à tomada de posse do novo presidente da SATA, Luís Rodrigues, que está prevista para o início do próximo ano.

O PPM considera como uma decisão "errada" o período em que o novo presidente da SATA acumulará as funções com as de docência numa faculdade em Lisboa, classificando-o como um "part-time".

"[O período de transição e 'part-time'] Prejudica gravemente a companhia e apenas beneficia o interesse pessoal do máximo responsável do Grupo SATA. Trata-se de uma opção errada por parte do Governo Regional", afirma.

No passado fim de semana, a SATA cancelou 23 voos inter-ilhas, devido à greve dos técnicos de manutenção de aeronaves da SATA Air Açores (ramo da SATA responsável pelas ligações entre as ilhas do arquipélago), sendo que alguns voos abrangidos pelos serviços mínimos obrigatórios (um voo Horta/Flores /Horta e um voo Terceira/Pico) não se realizaram devido às condições meteorológicas.

Mais de 160 passageiros foram afetados durante uma greve em que os técnicos de manutenção de aeronaves exigem uma "valorização profissional" das carreiras, enquanto a administração da companhia área considera as reivindicações apresentadas como "incomportáveis".

O grupo SATA fechou 2018 com um prejuízo de 53,3 milhões de euros e o relatório de contas do primeiro semestre de 2019 dá conta de prejuízos de 26,9 milhões de euros na Azores Airlines e de 6,6 milhões na SATA Air Açores.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.