Português hospitalizado por agressão racista com "sinais de recuperação"


 

Lusa / AO online   Nacional   18 de Nov de 2009, 11:14

O português de origem africana internado desde domingo nos cuidados intensivos do hospital universitário de Hamburgo, por agressão de índole racista, registou "sinais de alguma recuperação", disse esta quarta-feira o cônsul-geral de Portugal naquela cidade alemã.

Em declarações à Agência Lusa, António José Alves de Carvalho pormenorizou que o português, de 37 anos e de origem guineense, "terá saído do estado de coma", mas "mantém-se incontactável".

O homem, que está registado no consulado português em Hamburgo, foi agredido no domingo de manhã, após um indivíduo colar um autocolante na parte de trás do seu veículo, que a polícia verificou conter palavras de ordem do partido neofascista NPD, a dizer "Hamburgo tem de continuar a ser alemã".

O português saiu do carro e pediu explicações ao homem, mas foi imediatamente agredido a soco, caindo ao chão, enquanto o agressor se punha em fuga.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.