Portugal "exporta" rede Ciência Viva para a Nigéria

Portugal "exporta" rede Ciência Viva para a Nigéria

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Dez de 2018, 11:52

O ministro da Ciência e Tecnologia, Manuel Heitor, anunciou que a rede Ciência Viva vai ajudar a Nigéria a desenhar e implementar uma rede de centros de ciência no país.

"A Ciência Viva vai ajudar o Ministério da Ciência da Nigéria a planear e desenhar uma rede de centros de ciência na Nigéria", disse Manuel Heitor à agência Lusa, no final de um encontro bilateral com o seu homólogo nigeriano, que marca o arranque de uma visita de três dias de Ogbonnaya Onu a Portugal, na qual estão previstas uma série de deslocações a centros de investigação e laboratórios.

Os dois ministros estiveram no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, "para inaugurar uma nova fase de cooperação para ser desenhada uma rede de centros na Nigéria", acrescentou Manuel Heitor, explicando que esta é uma das quatro áreas de cooperação que foi lançada quando o governante nigeriano veio à Web Summit, há dois anos.

"A cooperação foi lançada há dois anos quando o ministro Ogbonnaya Onu veio ao Web Summit; trocámos impressões para fortalecer e lançar uma nova era nas relações entre os dois países, e hoje já temos empresas a trabalhar na área do espaço e da aeronáutica, particularmente na observação da terra, e temos uma relação científica a nascer", disse Manuel Heitor.

"Em dois anos mudámos radicalmente o cenário das relações", acrescentou, salientando que foram acordados o lançamento de um programa de mobilidade de estudantes, outro programa para projetos de investigação que será aberto em 2019 e o reforço do apoio da Nigéria ao futuro Centro Internacional de Investigação Atlântica (AIR Centre), nos Açores.

A vinda a Portugal do ministro, que encabeça uma delegação de quase 40 investigadores e cientistas, vai também ajudar a "reforçar as relações africanas com Cabo Verde, Angola e Guiné", disse o Manuel Heitor.

"As relações da Nigéria com Angola e Cabo Verde são incipientes e tratámos de incluir outros países de expressão portuguesa, e isso faz parte do AIR Centre, onde em 2019 entrarão para membros efetivos Angola, Cabo Verde, Nigéria e África do Sul, e Portugal está a dar uma ajuda importante para que os países de expressão portuguesa possam trabalhar com outros países africanos", explicou.

A Nigéria, concluiu, é um dos dois países africanos com uma Agência Espacial, vocacionada principalmente para as telecomunicações e defesa, mas Portugal está a "abrir as relações com a Nigéria no espaço para aplicações civis e de segurança, e será aberta uma área dentro dos projetos de investigação para a construção de pequenos satélites, micro-satélites".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.