Reunião

Parceiros sociais lamentam falta de sensibilidade da Troika para rever programa

Parceiros sociais lamentam falta de sensibilidade da Troika para rever programa

 

Lusa/AO online   Economia   13 de Nov de 2012, 16:34

Os parceiros sociais lamentaram a falta de sensibilidade da Troika para a revisão do memorando de entendimento e, por consequência, do alargamento dos prazos para que Portugal possa cumprir os compromissos acordados com os credores internacionais.

 

No final do encontro que durou perto de três horas, no Conselho Económico e Social, UGT, CGTP e Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP) falaram a uma só voz, dizendo que os representantes da Comissão Europeia (CE), Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Central Europeu (BCE) ouviram as suas preocupações, mas nada disseram perante os apelos feitos pelas estruturais sindicais e, no caso, pela confederação liderada por Vieira Lopes.

"A Troika ouve muito, mas fala pouco", disse este responsável.

Afastada está a possibilidade, segundo disseram aos jornalistas, de rever as metas acordas com o Governo português, quer no que se refere à revisão do memorando, quer no que diz respeito ao prolongamento das datas para que Portugal cumpra o acordado.

Os parceiros sociais estiveram reunidos desde as 15:00 com os representantes da Troika no Conselho Económico e Social (CES), no âmbito da sexta avaliação ao Programa de Ajustamento Económico e Financeiro.

O último encontro foi a 03 de setembro, no âmbito da quinta avaliação.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.