Orçamento para ciência e tecnologia nos Açores aposta em investigação e parcerias

Orçamento para ciência e tecnologia nos Açores aposta em investigação e parcerias

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Jan de 2019, 19:30

As verbas do Plano e Orçamento de 2019 dos Açores para a ciência e tecnologia, de 14 milhões de euros, serão aplicadas em investigação, na internacionalização do setor e na cooperação com o “tecido socioeconómico”.

Segundo o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, Gui Menezes, o montante previsto para este ano naquelas duas áreas será aplicado em projetos de investigação, a par da internacionalização e do “fomento da cooperação e transferência de conhecimento entre as entidades do sistema científico e tecnológico açoriano e o tecido socioeconómico".

O governante, que esteve presente em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, na sessão evocativa do 43.º da Universidade dos Açores, referiu que, no âmbito do programa Prociência, vão decorrer no primeiro trimestre de 2019 vários concursos no valor de 400 mil euros.

O titular das pastas da Ciência e Tecnologia destacou deste pacote um concurso de 100 mil euros que “visa incentivar a realização de projetos de investigação científica tecnológica relevantes para a região em áreas das ciências sociais”, ajudando na tomada de decisões das entidades públicas.

Além do apoio financeiro a gastos gerais com projetos e prestações de serviço, Gui Menezes referiu que o Governo Regional vai manter a verba de 350 mil euros anuais para que a universidade açoriana possa suportar os custos inerentes à sua tripolaridade, já que funciona nos 'campus' de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta.

O governante destacou o arranque de 19 projetos no âmbito da Estratégia de Especialização Inteligente RIS 3, selecionados num concurso realizado em 2018, representando um investimento de 3,3 milhões de euros.

No âmbito destes projetos, deverão ser contratados 19 doutores, três mestres, cinco licenciados e quatro técnicos.

Para assegurar a continuidade da investigação ligada ao mar, o governante disse que vai ser disponibilizado um apoio de cerca de dois milhões de euros, a que a Universidade dos Açores se pode candidatar, visando contratar dez docentes ou investigadores, nos próximos três anos, para “fortalecer o polo universitário da ilha do Faial”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.