Açoriano Oriental
Menezes não votou esta manhã para órgãos nacionais do partido - estatutos e regulamento do congresso
Menezes não votou esta manhã para órgãos nacionais do partido
Luís Filipe Menezes, eleito nas directas presidente do partido, não compareceu para votar nas listas aos órgãos nacionais do partido, por não participar no XXX congresso enquanto delegado, como prevêem os estatutos e o regulamento.

Autor: Lusa / Ao online
    Em declarações aos jornalistas, o agora cessante presidente do Conselho de Jurisdição, Guilherme Silva, explicou que "num congresso em que há delegados, são os delegados que têm direito de voto", como estipula o regulamento do congresso.

    Em virtude das eleições directas de 28 de Setembro, Menezes apresentou-se ao congresso não já como delegado, como aconteceu em congressos anteriores, mas como presidente eleito.

    Para Guilherme Silva, "só faz sentido que quem é parte na organização do processo não seja eleitor", explicando que os elementos da Comissão Nacional, do Conselho Nacional e do Conselho de Jurisdição podem votar, embora o possam fazer se forem delegados.

    A única excepção recai sobre a mesa do congresso, motivo que levou a presidente da mesa Manuela Ferreira Leite a votar cerca das 11:15 horas.

    Segundo o ainda presidente do Conselho de Jurisdição, a situação resulta da forma considerada "desfasada" entre a data das eleições internas e a do congresso, admitindo que esta fórmula possa ser "aperfeiçoada".

    "São questões que têm de ser articuladas com uma revisão estatutária globalmente considerada e com aspectos que têm de ser analisados com mais cuidado", disse.
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.