Mais de 265 mil notas de euros falsas apreendidas até Junho


 

Lusa / AO online   Economia   28 de Nov de 2007, 18:05

No primeiro semestre deste ano foram apreendidas mais de 265 mil notas de euros falsas, principalmente a de 50 euros, quantidade que as autoridades europeias consideram diminuta face à circulação total de 11 mil milhões de notas.
Os números indicam que a divisa europeia é menos falsificada do que o dólar norte-americano.

A Comissão Europeia propôs em Setembro a adopção de medidas contra a falsificação de notas e moedas de euros, nomeadamente a obrigatoriedade de os bancos verificarem a autenticidade do dinheiro que recebem antes de reporem em circulação.

Segundo o mais recente relatório do Banco Central Europeu (BCE), no primeiro semestre deste ano foi retirado de circulação um total de 265 mil notas de euro contrafeitas, número que demonstra que o nível de contrafacções “flutuou apenas ligeiramente” ao longo dos quatro últimos anos.

Comparando esse valor com a quantidade de notas verdadeiras em circulação (em média, 11 mil milhões durante o primeiro semestre de 2007), “a quantidade de notas contrafeitas é diminuta”, conclui o BCE.

As notas falsificadas apreendidas no primeiro semestre de 2007 foram novamente, na sua grande maioria (97%) detectadas em países da área do euro.

Aproximadamente 3% provinham de Estados-Membros da União Europeia fora da área do euro e apenas uma quantidade muito reduzida provinha de outras partes do mundo, segundo a autoridade monetária europeia.

A nota mais contrafeita no primeiro semestre do corrente ano foi a de 50 euros, correspondendo a cerca de metade do total de contrafacções detectadas em circulação. A seguir vem a de 100 euros (20 por cento), 20 euros (15%), 200 euros (10%), 10 euros (3%), 5 euros (1%) e 500 (1%).

Para o BCE, os cidadãos europeus “podem confiar” na qualidade das notas de euro e nos seus elementos de segurança.

No entanto, o Eurosistema (o BCE e os 13 bancos centrais nacionais da área do euro) continua a aconselhar os cidadãos a estarem “atentos e a verificarem” a autenticidade das notas que lhes chegam às mãos.

O Banco Central Europeu já está a estudar o lançamento de novas notas de euro que irão incorporar novos elementos de segurança, com o objectivo de reforçar a segurança do papel-moeda.

Segundo dados da Polícia Judiciária, em Portugal o dinheiro falso mais detectado é o dólar norte-americano.

Na terça-feira, o Tribunal de Odemira (Beja) começou a julgar 13 arguidos suspeitos de pertencerem a uma rede de contrafacção que fabricou cerca de oito milhões de dólares falsos, uma das maiores quantias apreendidas até hoje a nível mundial.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.