Açoriano Oriental
Investigação à queda do voo MH17 prolongada até agosto
A Austrália, Holanda, Ucrânia, Bélgica e Malásia acordaram estender por mais nove meses as investigações à queda do avião da Malaysia Airlines em julho no leste da Ucrânia, informaram fontes oficiais.
article.title

Foto: EPA/AHMAD YUSNI
Autor: Lusa/AO online

 

“Apesar dos países membros (da Equipa Conjunta de Investigação) terem acordado trabalhar até agosto de 2015, sublinho que a Austrália está disposta a trabalhar o tempo que seja necessário para levar os responsáveis à justiça”, disse em comunicado o ministro australiano da Justiça, Michael Keenan.

A Austrália reiterou o seu compromisso com a equipa internacional que investiga a queda do voo MH17 numa reunião na Ucrânia esta semana entre Keenan, e o vice-ministro ucraniano, Volodymyr Groysman, o titular da Justiça desse país, Pavlo Petrenko, entre outras autoridades.

A polícia australiana enviou 35 peritos para a Ucrânia e Holanda (Haia) para trabalhar com a Equipa Conjunta de Investigação que investiga a queda do aparelho com 298 pessoas a bordo, incluindo 38 cidadãos e residentes do país oceânico.

"A Austrália está comprometida em voltar ao local da queda. No entanto, a situação de segurança no leste continua instável. Qualquer decisão de voltar ao local será tomada em conjunto com os parceiros da Equipa Conjunta de Investigação e se estiverem reunidas as condições de segurança”, afirmou Keenan.

Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.