Açoriano Oriental
Açores/Eleições
IL quer desburocratizar, simplificar e baixar a carga fiscal

Os principais eixos de atuação da Iniciativa Liberal para os Açores são desburocratizar, simplificar e baixar a carga fiscal, afirmou hoje o líder nacional do partido, João Cotrim Figueiredo, numa ação de campanha, em Ponta Delgada.

IL quer desburocratizar, simplificar e baixar a carga fiscal

Autor: AO Online/ Lusa

“Libertar a capacidade de os açorianos fazerem mais por si próprios - isso implica uma desburocratização muito grande, simplificar muito os procedimentos, acabar com uma série de regras que não fazem sentido e também baixar a carga fiscal significativamente”, resumiu João Cotrim Figueiredo.

A comitiva da Iniciativa Liberal deu início ao dia de campanha para as regionais de 25 de outubro no Mercado da Graça, onde se cruzou com uma ação de campanha da CDU, coligação que junta o Partido Comunista e Os Verdes.

Mas, como há espaço para todos, o líder nacional do partido não se coibiu de esclarecer quais são os ideais liberais para a saúde, a educação e a segurança social, setores em que “a forma como o Estado está organizado, a querer prestar todos os serviços públicos”, engana “as pessoas, dizendo que, para ser um serviço público, tem de ser prestado pelo Estado”.

“Não é verdade”, considerou, acrescentando que, “se houver concorrência entre prestadores de saúde, se houver concorrência entre prestadores de educação, se houver alternativas aos sistemas de segurança social, há um incentivo para que as coisas vão melhorando, porque quem está a prestar o serviço percebe que, se não prestar um bom serviço, as pessoas escolhem outra coisa”.

Também o líder regional do partido, Nuno Barata, referiu que “o Estado, a região, impõe demasiadas regras ao empreendedorismo” e lamentou os atrasos em áreas como a economia azul.

O dirigente no arquipélago alertou, por outro lado, para “um problema gravíssimo para resolver a curtíssimo prazo, que tem a ver com a poluição da orla costeira, com o tratamento inadequado que se dá aos resíduos nos Açores”, defendendo que não é possível continuar “sem garantir regras, sem impor fiscalização e sem garantir que a sustentabilidade não passa de uma parangona, sem garantir que a sustentabilidade vai ser uma coisa efetiva num futuro próximo”.

O também candidato pelos círculos de São Miguel e de compensação, que luta pela eleição do primeiro deputado liberal ao parlamento açoriano, está “muito otimista” com a campanha.

“Não seria intelectualmente honesto se não dissesse que estou preocupado, porque ainda falta uma semana de campanha, mas estou muito otimista e, se fosse acreditar naquilo que as pessoas me dizem na rua, já estava a fazer a festa”, afirmou.

As legislativas dos Açores decorrem em 25 de outubro, com 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.999 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

A Iniciativa Liberal concorre pelos três círculos que elegem mais deputados: São Miguel (20), Terceira (10) e compensação (cinco).


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.