Açoriano Oriental
Governo dos Açores investiu em quatro anos 19 ME em infraestruturas culturais

O Governo dos Açores realizou nos últimos quatro anos um "conjunto de investimentos" em infraestruturas na área da cultura que ascenderam a 19 milhões de euros, anunciou o líder do executivo, Vasco Cordeiro.

Governo dos Açores investiu em quatro anos 19 ME em infraestruturas culturais

Autor: Lusa/AO Online

O presidente do Governo Regional falava na visita às obras no núcleo de Santo André, do Museu Carlos Machado, em Ponta Delgada, que representam um investimento de 3,6 milhões de euros.

Além dessa obra, o presidente do Governo Regional destacou outras intervenções "concluídas" ou em "fase de execução", que "decorrem em várias ilhas", como o caso do Museu Francisco Lacerda, em São Jorge, a Casa do Tempo, na ilha do Corvo, ou do cinema do aeroporto de Santa Maria e o polo de Vila do Porto do museu de Santa Maria.

"No fundo, um conjunto de investimentos que só nos últimos quatro anos mobilizaram um montante de investimento bem superior a 19 milhões de euros", declarou Vasco Cordeiro aos jornalistas.

Na ocasião, o presidente do Governo Regional anunciou também a "recuperação do espaço da Academia das Artes", situado no convento da Graça, em Ponta Delgada.

"É um projeto que também avançará nos próximos tempos de forma a requalificar aquele espaço, enriquecê-lo do ponto vista das funcionalidades e do usufruto que ele pode proporcionar", afirmou, referindo-se ao espaço da Academia das Artes dos Açores.

Sobre a obra no Museu Carlos Machado, o presidente do Governo Regional destacou a importância de dar "melhores condições" a todos aqueles que pretendem usufruir "daquilo que o museu oferece".

"A razão de ser deste investimento não se prende com a infraestrutura física do museu. Não é esse o objetivo. É o de dar melhores condições aos açorianos e a quem nos visita para melhor usufruírem de um património que, no caso do museu, já tem larguíssimas décadas", disse em referência ao Museu Carlos Machado.

Em março, aquando do início das obras no núcleo de Santo André do Museu Carlos Machado, vários moradores queixaram-se daquela intervenção, quer por temerem a segurança das suas casas, quer pelas alterações ao jardim centenário do museu.

Sobre as críticas, Vasco Cordeiro disse querer deixar uma "palavra de reconhecimento" e de "compreensão" para com os moradores, assinalando que é "natural" que a intervenção acarrete "incómodo" para as pessoas que vivem próximo do museu.

O presidente do executivo açoriano salientou que toda a intervenção foi feita mediante um "processo prévio" acompanhado pela Direção Regional da Cultura que assegurou a "defesa" do património do museu.

"A crítica, naturalmente, tomei conhecimento dela", disse Vasco Cordeiro, salientando que a intervenção procura "o ponto de equilíbrio ótimo entre a criação de novas funcionalidades" e a "salvaguarda dos indícios" históricos do museu.

A intervenção no convento de Sandro André, edifício do século XVI e casa histórica do Museu Carlos Machado, irá permitir a criação de reservas e a requalificação do jardim, sendo o prazo de execução de 18 meses.

O Museu Carlos Machado divide-se em três polos em Ponta Delgada (Santo André, Santa Bárbara e Igreja do Colégio) e cumpre 140 anos de história em 2020, sendo o mais antigo museu dos Açores.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.