Música

Frei Hermano celebra 50 anos de carreira no Coliseu

Frei Hermano celebra 50 anos de carreira no Coliseu

 

Rui Leite Melo   Cultura e Social   20 de Out de 2008, 12:37

Frei Hermano da Câmara, um dos nomes mais importantes da história do fado, vai deslocar-se a Ponta Delgada para realizar um concerto no Coliseu Micaelense. O “Monge Cantor” actuará no dia 30 de Novembro, pelas 21 horas, assinalando os 50 anos de carreira do seu “apostolado através da música”.
O espectáculo intitulado “Jesus Cristo Anda na Rua” assinala o regresso de Frei Hermano da Câmara aos palcos portugueses quando completa 75 anos de idade. No Coliseu Micaelense, recordará todos os seus grandes êxitos, como “Colchetes de Oiro”, “O Nazareno”, “Jesus”, “O Rapaz da Camisola Verde” ou “Fado da Despedida”.
O espectáculo de Frei Hermano da Câmara conta com a participação especial do fadista José Gonçalez.
Os bilhetes já se encontram disponíveis para venda pública na bilheteira do Coliseu, pelo preço único de dez euros.

Uma vida ímpar
Hermano Vasco Villar Cabral da Câmara, de nome artístico Frei Hermano da Câmara, nasceu em Lisboa, a 12 de Julho de 1933. Gravou o primeiro disco em 1959, “Sunset and Sentimental”, onde se salienta o clássico “Colchetes de Oiro”. Em 1961 decide tornar-se monge beneditino entrando para o Mosteiro de Singeverga (Santo Tirso) da Ordem de São Bento.
Com a abertura proporcionada pelo Concílio do Vaticano II, Frei Hermano da Câmara volta a gravar temas, profundamente marcados pela sua vocação religiosa. Faz um espectáculo no Teatro Tivoli em 1969 e começa aqui a epopeia do “Monge Cantor”. O seu apostolado viria a ser, a partir de então, essencialmente um apostolado musical e os seus superiores, atentos aos “sinais dos tempos”, encorajaram-no a seguir esse caminho. Em 1973 é editado o disco “Fado da Despedida”. Ainda em 1973 grava com o Quarteto 1111 o álbum “Bruma Azul do Desejado”. Neste disco, há a colaboração do Coro da Escola Claustral de Singeverga. Com produção e supervisão de Mário Martins é editado em 1978 o duplo-álbum “O Nazareno”. Obra musical inspirada no Evangelho, com a colaboração de vários poetas portugueses, que depois seria levada aos palcos.
Em 1983 lança o disco “Totus Tuus - Uma Serenata Mística a Nossa Senhora”, com a participação de António Chainho e do Coro Infantil do Clube TAP. Em 1984 é editado pela Polygram o disco “Álbum de Recordações”. Em 1986 é editada a colectânea “Suave Milagre - O Melhor de Frei Hermano”. Em 1988 é levado ao palco o disco “Totus Tuus “ com encenação de João Avilez. Em 1989 é editada a compilação “O Melhor de Frei Hermano da Câmara”. Também em meados dos anos 80, edita um single com canções infantis, denominado “Canção da Felicidade”.
Ainda nos anos 80, funda a comunidade religiosa “Apóstolos de Santa Maria”. A comunidade é aprovada pelo Arcebispo de Braga, D. Eurico Dias Nogueira, em Fevereiro de 1990. Esta ordem religiosa, baptizada de “Arautos da Misericórdia Divina”, congrega dois seminários e tem duas vertentes no seu carisma: uma contemplativa, baseada na oração, e outra na acção, fazendo o seu apostolado através da música, auxiliando os sacerdotes nas paróquias e contribuindo para a acção social da Igreja Católica.
Na sua carreira musical editou outros discos como “Encosto a fronte à vidraça”, “O rapaz de Luz” e “Jesus”. Também já editou um livro intitulado “O Monge Cantor” (Edições Neptuno). Frei Hermano da Câmara procura com o apostolado através da música edificar a civilização do amor e promover a cultura da paz.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.