EUA

Executado homicida condenado com recurso ao Antigo Testamento


 

Lusa/AO Online   Internacional   6 de Nov de 2009, 11:31

Um homem condenado por ter agredido e matado um sexagenário a tiro foi executado na quinta-feira, no Texas, após um controverso julgamento em que membros do júri terão recorrido ao Antigo Testamento para escolher a pena de morte.

Khristian Oliver, de 32 anos, foi declarado morto por injecção letal às 18:18 locais de quinta-feira (01:18 de Lisboa).

Oliver desejou felicidades aos filhos da vítima, que se encontravam a escassos metros de distância, observado a execução através de um vidro.

Despediu-se depois dos pais, também presentes, e começou a recitar o Salmo 23 - "Salmo de David: O Senhor é o meu pastor, nada me falta" -, tendo proferido vários versículos antes de as drogas mortais causarem efeito.

Oliver foi condenado por, em Março de 1998, ter matado um agricultor de 64 anos que o surpreendera quando tentava assaltar-lhe a casa numa quinta em Nacogdoches, a 225 quilómetros a sueste de Dallas.

Uma testemunha ocular disse que viu Oliver, então com 20 anos, bater e disparar contra a sua vítima, tendo manejado a espingarda como um machado ou taco de golfe.

Membros do júri, que levaram, sem autorização, a Bíblia para a sala de deliberação, compararam aquele uso da espingarda ao de um objecto de ferro e aplicaram o que, no Antigo Testamento, figura no versículo 35.16 do livro de Números: "Se o homicida ferir a pessoa com um instrumento de ferro e ela morrer, é um assassino; deve ser punido com a morte."

Apesar do protesto do advogado de Oliver, o tribunal de recurso considerou não ter ficado claro se os membros do júri consultaram a Bíblia antes ou depois de deliberarem.

A execução de Oliver foi a 20.ª com injecção letal este ano no Texas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.