Esperanças pré-finalistas das Sete Maravilhas Doces

Esperanças pré-finalistas das Sete Maravilhas Doces

 

Ana Carvalho Melo   Regional   16 de Jul de 2019, 09:25

As Esperanças, doce produzido pela Confeitaria Colmeia, uma adaptação do “bolinho da Esperança” que era feito pelas freiras do Convento para oferecer aos beneméritos nas épocas festivas, foram ontem eleitas pré-finalistas das Sete Maravilhas Doces de Portugal.

Ao Açoriano Oriental, Fernando Neves, proprietário da Confeitaria A Colmeia, recordou que se trata de uma adaptação da receita original, juntando-lhe uma massa crocante no exterior, ainda que o recheio se mantenha fiel à receita original.


“Esta Esperança tem algumas inovações, através do envolvimento do recheio que é fundamentalmente formado por gemas de ovos, amêndoa ralada, cidrão e pão da véspera”, explicou, realçando que foi recuperada uma receita antiga com mais de 60 anos, que já passou por algumas gerações da mesma família.

A razão desta aposta prende-se com o facto de Fernando Neves ter considerado que era necessário recuperar memórias perdidas.


Os Açores estavam representados nesta edição das 7 Maravilhas de Portugal, pelas Esperanças, de Ponta Delgada, pelo Alfenim e Camafeu, ambos da Praia da Vitória, pela Dona Amélia e Pudim Conde da Praia, de Angra do Heroísmo, pelas Queijadas da Graciosa, de Santa Cruz da Graciosa, e pelas Queijadas de Vila Franca do Campo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.