Conferência de Annapolis pode conduzir à paz no Médio Oriente

Conferência de Annapolis pode conduzir à paz no Médio Oriente

 

Lusa / AO online   Internacional   5 de Nov de 2007, 16:33

O chefe da diplomacia da União Europeia, Javier Solana, manifestou-se esta segunda-feira, em Lisboa, confiante que a conferência internacional de Annapolis (Maryland, EUA) conduza à paz no Médio Oriente.
Em declarações à entrada da reunião UE/União do Magreb Árabe, Solana afirmou que a conferência de Annapolis pode criar "dinâmicas políticas" favoráveis que levem ao desenvolvimento de um processo de paz concreto em meados do próximo ano, tal como o deseja o primeiro-ministro israelita, Ehud Olmert.

Contudo, o responsável pela política externa da UE salientou que as dinâmicas políticas devem convergir com uma melhoria das condições de vida dos palestinianos e um desenvolvimento económico na zona.

"Agora o que temos de fazer é colocar toda a determinação para tentar construir um processo político, com novas dinâmicas, ao mesmo tempo que damos ajuda económica (…) e se melhoram as condições nos territórios" palestinianos, comentou Solana, que se deslocou a Lisboa por ocasião da reunião da parceira Euromed (euro-mediterrânica) de hoje e terça-feira.

Solana lembrou que as reuniões bilaterais que serão feitas em Lisboa vão permitir antever quais as reais perspectivas de êxito da conferência de Annapolis e do processo de paz no Médio Oriente.

Solana elogiou ainda o discurso de Olmert de domingo, no qual o primeiro-ministro israelita equiparou a conferência de Annapolis a um "trampolim" para umas negociações "sérias, profundas e prolongadas".

Solana vai viajar na próxima semana para a região do Médio Oriente para comprovar por ele mesmo as impressões positivas que tirou do discurso de Olmert e que o levam a ser "optimista" sobre o êxito do processo de paz.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.