Comissariado para a Infância pede melhorias na saúde nas ilhas açorianas sem hospital

Comissariado para a Infância pede melhorias na saúde nas ilhas açorianas sem hospital

 

Lusa/AO Online   Regional   8 de Abr de 2019, 17:44

O Comissariado dos Açores para a Infância recomendou ao executivo regional "a melhoria da resposta" do Serviço Regional de Saúde ao nível de consultas de especialidade médica, "em especial nas ilhas sem hospital".

Os casos de pediatria, pedopsiquiatria e oftalmologia são elencados pela entidade como necessitando dessa melhoria.

Nos Açores há hospitais nas ilhas de São Miguel, Terceira e Faial, faltando uma unidade do género em Santa Maria, Graciosa, São Jorge, Pico, Flores e Corvo.

O pedido do comissariado surge no relatório anual de atividades da entidade, apresentado esta tarde em Ponta Delgada pela presidente do organismo, Isabel Rodrigues.

É também recomendado, por exemplo, o "aprofundamento da ação de toda a comunidade educativa na prevenção e combate ao 'bullying' e ao 'cyberbulling'", além de uma "promoção da cidadania digital" das crianças e jovens dos Açores.

O Comissariado dos Açores para a Infância pede ainda "a intensificação dos esforços no combate à violência doméstica" e sinaliza que a "diversificação na oferta educativa" poderia contribuir para o "combate ao insucesso e ao abandono escolar".

Presente na sessão, a secretária regional da Solidariedade Social, Andreia Cardoso, lembrou o "imperativo de transparência" que consiste na apresentação do relatório anual de atividades do comissariado.

"Todos estamos convocados para o combate à pobreza e exclusão social", e tal passa por valorizar os direitos das crianças no arquipélago, referiu Andreia Cardoso.

O comissariado tem por missão a defesa e promoção nos Açores dos direitos das crianças e dos jovens, e funciona sob a tutela da Secretaria da Solidariedade Social.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.