César apostado em “segurar” as empresas para manter emprego

César apostado em “segurar” as empresas para manter emprego

 

Luísa Couto   Regional   21 de Dez de 2008, 21:29

"Segurar" as empresas de modo a evitar falências e assim permitir que as mesmas possam garantir a manutenção dos postos de trabalho será um dos mais importantes desafios do Governo açoriano em 2009.

Consciente de que o novo ano , por força da actual conjuntura económica, traz consigo grandes desafios do ponto de vista do emprego, o presidente do Executivo regional compromete-se a concentrar esforços para que "as empresas se aguentem".

"O mais importante nesta fase de crise vai ser assegurar os postos de trabalho. É aí que o Governo Regional vai ter de trabalhar", assegurou Carlos César, ontem, na freguesia da Covoada, durante a entrega de uma dezena de habitações para realojamento de famílias carenciadas, num empreendimento constituído por 60 moradias, 40 das quais construídas a custos controlados e as restantes destinadas a realojamentos.

Na ocasião, o governante fez questão de lembrar que ainda há muito que fazer em matéria de habitação, apesar de, na última década, terem sido resolvidos mais de 15 mil casos de famílias.

"O governo não pode descansar quando sabe que existem muitas famílias que ainda se encontram em habitações sobrelotadas, em más condições, que põem em risco a sua segurança e que também comprometem a sua inclusão social", reiterou.

E, precisamente, porque não está tudo resolvido, o presidente do Governo lançou o alerta: "é importante que continuemos este esforço e que as nossas autarquias locais, particularmente as câmaras municipais, também desenvolvam um esforço mais forte, mais visível e mais prioritário no domínio da habitação."

"E é importante também que o Governo da República continue a colaborar com o Governo Regional através do Instituto Nacional de Habitação(INH), co-financiando este esforço que estamos a desenvolver", acrescentou o presidente do Governo Regional. Apoiado no equilíbrio das contas públicas e, por isso, mostrando-se optimista quanto às capacidades do governo para continuar com uma política de investimento e apoio social, Carlos César revela ainda que o governo já teve "o discernimento e a oportunidade de aprovar um conjunto de medidas que vão beneficiar o rendimento das famílias e capitalizar as empresas".

Os problemas do sector imobiliário também tiveram lugar na intervenção do governante, assegurando mesmo que existe já uma estratégia para esse domínio.

"Vamos responder à situação que temos de um parque habitacional que está a atravessar uma crise na relação entre a oferta e a procura através da criação de um fundo imobiliário e através de uma intervenção nesse mercado que faça com que várias famílias possam entrar nesse parque habitacional já construído e disponível".

César assumiu ainda que no decurso da actual legislatura quer dar muita atenção às famílias com necessidades especiais como é, por exemplo, o caso das famílias monoparentais.

Para além desses casos, o presidente do Executivo compromete-se a dar prioridade às famílias com cidadãos portadores de deficiência, assim como ao realojamento de mulheres em situação pós-traumática devido a casos de violência doméstica.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.